PUBLICIDADE

H5N1 | Caso de gripe aviária em humano é confirmado nos EUA

No Texas, é confirmado caso do vírus da gripe aviária H5N1 em humano; segundo o CDC, o paciente trabalhava com a criação de gado para produção de leite

2 abr 2024 - 20h18
(atualizado em 3/4/2024 às 11h42)
Compartilhar
Exibir comentários

Na segunda-feira (1), o Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) confirmou o segundo caso de gripe aviária H5N1 em humanos nos Estados Unidos. Para ser preciso, o paciente , que mora no Texas, foi infectado por uma estirpe do vírus H5N1 adaptado a aves com alta patogenicidade, conhecido como HPAI A(H5N1).

Foto: iLexx/envato / Canaltech

Embora este tipo da gripe aviária seja mais relacionado com as aves, como sugere o próprio nome, outros animais e até humanos podem ser infectados. Neste caso mais recente, o paciente tinha contato com a criação de vacas para a produção de leite. A hipótese em investigação é que alguns desses animais estavam doentes e transmitiram o vírus de alta patogenicidade.

O paciente infectado está bem, tendo apresentado apenas inflamação nos olhos. Ele "foi orientado a se isolar e está sendo tratado com um medicamento antiviral para gripe", complementa o CDC, em nota.

"As infecções humanas com vírus da gripe aviária A, incluindo o vírus A(H5N1), são incomuns, mas ocorreram esporadicamente em todo o mundo", destaca a agência norte-americana.

É perigoso tomar leite de vaca?

Como o vírus H5N1 afetou o gado leiteiro em cinco estados norte-americanos — Kansas, Idaho, Michigan e Novo México, além do Texas —, é válido as pessoas se questionarem sobre os potenciais riscos envolvendo o consumo de leite. 

No entanto, o CDC esclarece que não há risco de contaminação relacionado ao consumo de alimentos. "Não há preocupações com a segurança do fornecimento comercial de leite [dentro dos EUA] neste momento, porque os produtos são pasteurizados antes de entrarem no mercado", informa a agência. 

Além disso, o leite dos animais afetados deve ser destruído "para que não entre no abastecimento alimentar humano". Os cuidados especiais são recomendados apenas para os trabalhadores, em casos de suspeita de surtos.

Eua confirmam caso de humano infectado pelo vírus da gripe aviária H5N1, após contato com vacas supostamente infectadas (Imagem: Anastasiia Chepinska/Unsplash)
Eua confirmam caso de humano infectado pelo vírus da gripe aviária H5N1, após contato com vacas supostamente infectadas (Imagem: Anastasiia Chepinska/Unsplash)
Foto: Canaltech

Gripe aviária em humanos

Antes do caso de gripe aviária no Texas, o primeiro caso de H5N1 em humanos foi relatado, em 2022, no estado do Colorado. No entanto, este primeiro paciente trabalhava com o abate de aves, em granjas, sem envolvimento com a produção de leite.

Independente da forma de contaminação, a gripe aviária H5N1 tende a provocar sintomas leves em humanos, como infecção ocular e sintomas respiratórios. São mais raros quadros que evoluem para pneumonia e complicações mais graves, embora isso possa acontecer.

No Brasil, não há registros da infecção em humanos — um caso suspeito foi descartado no ano passado, após conclusão de análise. Apenas apenas aves (silvestres ou de subsistência) e leões-marinhos foram infectados. 

Avaliação de risco da gripe aviária

Com base nos atuais dados epidemiológicos, o CDC classifica como "baixo" o risco da gripe aviária H5N1 para o público geral nos EUA. O entendimento é o mesmo já compartilhado pela Organização Mundial da Saúde (OMS). Apenas pessoas que trabalham com o manejo de animais devem ficar atentos a possíveis riscos.

Fonte: CDC  

Trending no Canaltech:

Canaltech
Compartilhar
Publicidade
Publicidade