PUBLICIDADE

Existe ligação entre dormir mal e sentir dor

Cientistas de Harvard descobrem que a redução na quantidade do neurotransmissor NADA explica a ligação entre as noites mal dormidas e a dor do dia seguinte

29 nov 2023 - 18h07
(atualizado às 21h40)
Compartilhar
Exibir comentários

Para muitas pessoas, ter uma noite de sono ruim ou dormir pouco significa acordar no dia seguinte com algum tipo de dor, incluindo dores de cabeça. O efeito parece ainda mais nítido naqueles que sofrem com dor crônica e que têm os seus sintomas intensificados. Só que esta relação era, até então, inexplicável.

Foto: amenic181/Envato / Canaltech

Para Weihua Ding, pesquisador da Harvard Medical School e um dos responsáveis por investigar a relação, há um "ciclo vicioso" entre noites mal dormidas e a ocorrência de dores. Basicamente, a dor causa perda de sono e vice-versa.

"Às vezes, não descanso o suficiente e, no dia seguinte, sinto fortes dores de cabeça e nas costas", acrescenta a pesquisadora Liuyue Yang sobre as motivações pessoais que a levaram participar do estudo. O artigo foi publicado na revista Nature Communications.

Dor e falta de sono

Em experimentos com modelos animais, os pesquisadores descobriram uma ligação entre a privação do sono e as dores relatadas. Aparentemente, a resposta está em um pequeno neurotransmissor, conhecido como NADA (dopamina N-araquidonoil). Este integra o sistema endocanabinoide — que desempenha um papel no controle da sensação de dor.

Quando o indivíduo não dorme o suficiente, independente da causa, ocorre a redução dos suprimentos de NADA do cérebro. Com baixas quantidades desse neurotransmissor, a dor não necessariamente fica mais forte que na noite anterior, mas é mais intensa.

Estudo de Harvard descobre o porquê dormir mal aumenta a ocorrência de dores (Imagem: Vecstock/Freepik)
Estudo de Harvard descobre o porquê dormir mal aumenta a ocorrência de dores (Imagem: Vecstock/Freepik)
Foto: Canaltech

Por enquanto, isso já foi observado em camundongos. Tanto é que, em roedores privados de sono, a adição de NADA fez com que eles não tivessem uma percepção de dor mais intensa pela perda de sono, conforme aponta a equipe.

"Esta é a primeira vez que descobrimos que este tipo de metabólito desempenha esse papel de controle na dor crônica e nos ciclos de interrupção do sono", afirma Ding.

Como melhorar o sono?

Para os pesquisadores, esse mecanismo revela um dos pontos em comum entre a dor e o sono ruim, mas a questão é bem mais complexa. Por exemplo, adotar práticas de higiene do sono antes de dormir e tratar dores crônicas são fundamentais. Só que, agora, é possível pensar em novas terapias complementares.

Inicialmente, o grupo quer confirmar que o NADA tem os mesmo efeitos em seres humanos. Em paralelo, eles querem isolar o canabinoide da cannabis que tem como alvo o mesmo receptor da percepção de dor, já que ele também atua no sistema endocanabinóide.

Fonte: Nature Communications e Harvard  

Trending no Canaltech:

Canaltech
Compartilhar
Publicidade
Publicidade