PUBLICIDADE

Destaque da NASA: estrela em nebulosa é a foto astronômica do dia

O destaque da NASA traz NGC 6164, nebulosa de emissão que tem um par de estrelas. Ao estudá-las, astrônomos descobriram que o sistema pode ter abrigado 3 delas

24 abr 2024 - 17h27
(atualizado às 21h15)
Compartilhar
Exibir comentários

A nebulosa NGC 6164 está na foto destacada pela NASA nesta quarta-feira (24). A nuvem cósmica foi registrada por Rowan Prangley, que capturou também HD 148937, a estrela massiva existente ali. 

Na verdade, a estrela ali é formada por dois objetos. Com dados do Observatório Europeu do Sul, astrônomos descobriram que uma das estrelas do sistema é jovem, e diferentemente da sua vizinha, é magnética. Isso é estranho porque as estrelas deveriam ser parecidas, como se fossem irmãs gêmeas.

Outra característica interessante é que a nebulosa é mais jovem do que o sistema estelar ali. Seus gases são feitos de elementos que, normalmente, são encontrados no interior de uma estrela, e não fora dela.

Portanto, estas pistas indicam que o sistema HD 148937 pode ter sido o lar de três estrelas, não duas. No entanto, uma dupla ali colidiu e formou a estrela observada, que é maior e mais magnética que a outra. 

A nebulosa NGC 6164 abriga um sistema estelar em seu interior (Imagem: Reprodução/Rowan Prangley)
A nebulosa NGC 6164 abriga um sistema estelar em seu interior (Imagem: Reprodução/Rowan Prangley)
Foto: Canaltech

Estes objetos estão cercados pelos gases de NGC 6164, nebulosa que se estende por cerca de quatro anos-luz. Ela fica a aproximadamente 3.600 anos-luz de nós.  

O que é nebulosa?

As nebulosas são grandes nuvens de gás e poeira encontradas no espaço. Elas são compostas principalmente por hidrogênio e hélio junto de partículas de poeira fina, e seus formatos e cores as tornam alguns dos objetos mais surpreendentes do universo. 

Existem diferentes tipos de nebulosas, cada uma com características únicas dos fenômenos que acontecem em seu interior. Entre estes tipos, estão as de emissão, categoria que inclui a NGC 6164; como o nome indica, estas nebulosas emitem luz própria. Isso costuma acontecer como resultado da radiação de estrelas, que ioniza as nuvens de gás. 

Para uma nebulosa ser formada, é preciso que o meio interestelar (o espaço entre das estrelas) tenha alcançado a densidade necessária para a formação de nuvens. Isso acontece quando a gravidade une gás e poeira, ou quando estrelas explodem e lançam seus compostos.

Fonte: APOD

Trending no Canaltech:

Canaltech
Compartilhar
Publicidade
Publicidade