PUBLICIDADE

Enguias podem transferir DNA para outros animais pelo choque

Em experimento, pesquisadores descobriram que as larvas de peixes-zebra passaram por mudanças genéticas após serem expostos à eletricidade gerada pelas enguias

7 dez 2023 - 10h58
(atualizado às 14h49)
Compartilhar
Exibir comentários

As enguias são capazes de liberar até 860 volts, e um estudo desenvolvido pela Universidade de Nagoya (Japão) e publicado na revista científica PeerJ - Life and Environment revelou que esses choques podem desencadear mudanças genéticas em outros animais — no caso do experimento, mais especificamente larvas de peixe-zebra.

Foto: Keenan Novis/Pexels / Canaltech

Os pesquisadores partiram da teoria de que, se a eletricidade fluisse num rio, poderia afetar as células dos organismos próximos. As células podem incorporar fragmentos de DNA na água, conhecidos como DNA ambiental.

Para colocar esse pensamento em prática, os autores do estudo expuseram os peixes a uma solução que brilhava na luz se o DNA fosse capturado. Então, eles introduziram uma enguia no local onde estavam os peixes-zebra e a fizeram descarregar eletricidade.

A análise das larvas do peixe-zebra ao microscópio revelou que 5% delas apresentavam fluorescência verde, sugerindo que a solução de DNA na água havia sido absorvida pelos peixes. Os investigadores atribuíram isto à eletricidade produzida pelas enguias e acreditam que demonstra que elas podem afetar a genética de organismos próximos.

Enguias podem transferir DNA para outros animais através da eletricidade (Imagem: Sakaki et al, 2023/PeerJ)
Enguias podem transferir DNA para outros animais através da eletricidade (Imagem: Sakaki et al, 2023/PeerJ)
Foto: Canaltech

"A descarga elétrica da enguia promoveu a transferência de genes para as células. Enguias e outros organismos que geram eletricidade podem gerar modificação genética na natureza", concluem os pesquisadores.

Os pesquisadores também mostraram esperança de que este é apenas o começo da pesquisa com campos elétricos em organismos vivos. "Acreditamos que as tentativas de descobrir novos fenômenos biológicos com base em ideias tão inesperadas e fora da caixa irão esclarecer o mundo sobre as complexidades dos organismos vivos e desencadear avanços no futuro", reiteram os autores.

DNA ambiental

Em estudos anteriores, cientistas da University of Copenhagen (Dinamarca), Queen Mary University (Reino Unido) e York University (Canadá) conseguiram capturar DNA ambiental em amostras de ar de zoológicos, o que permitiu identificar as espécies que vivem lá. Até então, utilizava-se apenas amostras do solo ou da água para obter essas informações.

Fonte: PeerJ 

Trending no Canaltech:

Canaltech
Compartilhar
Publicidade
Publicidade