PUBLICIDADE

Ruínas próximas a Machu Picchu são afetadas por incêndio

A Trilha Inca e a Cidadela de Machu Picchu estão intactas, mas o complexo de Llamakancha teve prejuízos que ainda devem ser avaliados

4 jul 2022 - 16h03
Ver comentários
Publicidade

Na última sexta-feira (1), as autoridades peruanas anunciaram que os bombeiros conseguiram controlar o incêndio florestal próximo ao distrito de Macchu Picchu e do complexo arqueológico de Llamakancha, em Cusco. O fogo teve início na terça-feira (28), quando agricultores da região queimavam grama e detritos para preparar a semeadura das plantações. A agência Reuters divulgou que, em três dias de incêndio, cerca de 30 hectares foram consumidos pelas chamas - o que corresponde a mais da metade da Cidade do Vaticano.

O relevo dificultou o acesso dos bombeiros ao terreno, fazendo com que o incêndio se estendesse por três dias.
O relevo dificultou o acesso dos bombeiros ao terreno, fazendo com que o incêndio se estendesse por três dias.
Foto: ANDINA/Divulgação / Viagem e Turismo

O Ministério da Cultura do Peru ainda está avaliando o relatório final de danos, mas já anunciou que o turismo na Trilha Inca e na Cidadela de Machu Picchu deve seguir normalmente, já que o incêndio aconteceu em outra área do distrito. Por outro lado, o monumento arqueológico de Llamakancha foi diretamente afetado: os prejuízos ainda não foram totalmente calculados e, portanto, o local não está liberado para visitações.

Viagem e Turismo
Publicidade
Publicidade