0

Witzel garante que entregará hospitais de campanha no Rio para combate ao novo coronavírus

Governador do Rio de Janeiro confirma entrega de todos os hospitais de campanha previstos

23 mai 2020
19h31
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

RIO - O governador do Rio, Wilson Witzel, garantiu em nota à imprensa que todos os hospitais de campanha para o combate da covid-19 no estado serão entregues. Em suas redes sociais, ele disse que é preciso garantir o atendimento à população e que há preocupação com a possibilidade de uma segunda onda de contaminação.

"Todos os hospitais de campanha serão entregues. Junto com o comitê de especialistas e o secretário de Saúde, Fernando Ferry, ratificamos a preocupação com a segunda onda da doença. Estamos seguros sobre o atendimento às pessoas e garantiremos a retomada da atividade econômica", disse no Twitter neste sábado.

Na quinta-feira passada Ferry afirmou em entrevista ao telejornal RJTV, da Rede Globo, que alguns dos hospitais de campanha que estão atrasados poderiam não ser entregues. Segundo o secretário, o atraso para a conclusão das obras e os números positivos da pandemia podem tornar as unidades desnecessárias. A entrega dos hospitais de campanha no estado do Rio está atrasada.

Em outra postagem no Twitter, Witzel afirmou que "erros serão consertados" e "irregularidades devidamente apuradas". "E quem se aproveitou desse terrível momento para se beneficiar deve ser julgado e punido. Não tenho compromisso com coisa errada. Vamos seguir juntos e fortes. E vamos vencer. Junto com os fluminenses", postou.

O governo tem enfrentado denúncias de corrupção em meio à pandemia, que já matou 3.905 fluminenses. O Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro (TCE-RJ) afirma que a secretaria estadual de Saúde do Rio gastou R$ 123,58 milhões a mais do que seria normal ao adquirir respiradores para equipar suas unidades de saúde no combate à pandemia do novo coronavírus.

Em auditoria cujo resultado foi divulgado na noite desta sexta-feira (22), o órgão apontou o ex-secretário estadual de Saúde Edmar José Alves dos Santos e o ex-subsecretário Gabriell Carvalho Neves Franco dos Santos como principais responsáveis pelas irregularidades e solicita a apresentação de defesa ou o ressarcimento aos cofres públicos de R$ 36,59 milhões.

A auditoria foi realizada pela Secretaria Geral de Controle Externo do TCE-RJ entre os dias 27 e 30 de abril e analisou três contratos assinados para a aquisição de mil respiradores, no valor total de R$ 183,58 milhões. Foram contratadas três empresas: ARC Fontoura Indústria Comércio e Representações, A2A Comércio Serviços e Representações e MHS Produtos e Serviços.

Mais cedo o governo do Estado do Rio de Janeiro informou, em nota, que a Controladoria Geral do Estado (CGE) ainda não foi comunicada do resultado da auditoria do TCE, por isso, não poderia se manifestar. A reportagem tentou ouvir os dois acusados e as três empresas envolvidas, sem sucesso até a publicação desta reportagem.

Veja também:

De andador, veterano de guerra de 99 anos arrecada milhões para saúde pública britânica
Estadão
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade