3 eventos ao vivo

Veja como incluir o consumo moderado da salsicha no cardápio

18 abr 2019
06h50
  • separator
  • 0
  • comentários

Ingrediente de um bom cachorro-quente, a salsicha tem uma fama não muito boa. Essa má reputação não é em vão: o produto contém gorduras saturadas ? que podem chegar a 30% ? e, em alguns casos, itens de segunda qualidade e aditivos químicos. Contudo, não dá para generalizar.

E a preocupação é válida. A Organização Mundial da Saúde (OMS) decretou que o efeito ruim dos processados não é do alimento em si, mas essencialmente da maneira como são elaborados. Antes de ir para o prato, esse tipo de comida é submetido a técnicas artificiais.

Os nitritos e os nitratos de sódio, por exemplo, compostos químicos que possuem a função de evitar a formação de bactérias (e, portanto, fazer com que os alimentos durem mais), têm potente ação carcinogênica.

Composição

A recomendação dos especialistas é o consumo muito moderado do alimento, menos de uma vez por semana. Mas para quem procura uma alternativa menos nociva à saúde e de mais qualidade, o segredo está em descobrir os ingredientes. A salsicha é produzida a partir de pedaços de carne transformada em uma massa pastosa chamada emulsão.

A diferença para as linguiças é que, nestas, depois de todo o processamento ainda se consegue identificar os pedaços de carne e gordura separadamente.

Qualidade

Os tipos de salsichas podem ser das mais variadas: pelo tipo de carne, pelo modo de produção ou pelos temperos das carnes. No Brasil, uma instrução normativa do Ministério da Agricultura estabelece algumas classificações para a venda do produto: quanto menos quantidade de carne processada na salsicha, mais qualidade.

A Viena é a mais pura, pois não leva carne mecanicamente separada. O mesmo vale para a Frankfurt, que difere da Viena por ter um tempero mais intenso e bacon na sua composição. Existem as versões tipo Viena e Frankfurt disponíveis no mercado que têm carne mecanicamente processada, mas em uma quantidade menor do que a do tipo hot dog, até 40%.

As de frango e peru são consideradas mais saudáveis. Elas são feitas apenas com carne, miúdos e gorduras de aves, apresentam até 40% de carne mecanicamente separada e têm menos gorduras e sódio em relação às demais.

Estadão
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade