Ortodontia preventiva: é fundamental para as crianças?

21 jul 2017
11h00

Muitos são os pais que chegam a uma consulta odontológica com dúvidas sobre a frequência com que os seus filhos devem visitar o dentista e sobre o momento em que devem iniciar um tratamento na boca das crianças.

De acordo com especialistas, tudo vai depender do problema a ser tratado e do tipo de tratamento ortodôntico que a criança precisa.

Dentre as opções oferecidas para as crianças está a ortodontia interceptora ou preventiva, que pode ser aplicada entre os 7 e 11 anos e que que serve para garantir o crescimento e o desenvolvimento adequado das estruturas que formam a boca, especialmente o osso maxilar e mandíbula.

Foto: Shutterstock.com

Entre as ações planejadas para o desenvolvimento correto da mandíbula, o ortodontista pode fazer expansão do maxilar, estimular ou restringir o crescimento mandibular, deixando a correção do posicionamento dental exclusivamente para quando todos os dentes permanentes já tiverem eclodido.

Para todos os pais que têm dúvidas sobre a necessidade deste tipo de tratamento nos seus filhos, o mais importante é encontrar profissionais experientes, que farão um estudo abrangente sobre o desenvolvimento bucal dos pequenos e irão recomendar o melhor caminho para que eles cresçam com um sorriso perfeito.

FF

compartilhe

publicidade
publicidade