PUBLICIDADE

Mau hálito é cringe? Jovens também podem ter bafinho

A halitose pode atingir tanto crianças e adolescentes quanto adultos e as causas são variadas

23 ago 2021 10h00
Publicidade
Foto: Pexels

Muito tem se ouvido sobre as diferenças entre a geração X, apelidada carinhosamente de cringe (ou não!) e a geração Z. No entanto, pelo menos um ponto esses dois perfis têm em comum: ambos podem sofrer do temido mau hálito. Sim, é isso mesmo: a halitose pode atingir tanto crianças e adolescentes quanto adultos e as causas são variadas.

A halitose não escolhe idade. Havendo uma predisposição orgânica ela pode se manifestar como um sinal de alerta de que algo no organismo está em desordem. Nas crianças, é comum devido a problemas respiratórios, já que a oclusão (mordida) ainda não está formada.

Isso desencadeia processos como rinites, sinusites ou até a presença de carne esponjosa nas narinas, que, além de contribuir para uma maior formação de muco, leva a criança a ser respirador bucal.  Quem respira pela boca tem mais descamação da mucosa bucal, que se deposita sobre a língua, formando a saburra lingual, principal responsável pela liberação dos gases de enxofre.

Em adolescentes, a halitose pode ser fruto da intensificação de atividade de várias glândulas, que pode alterar odores corporais - inclusive o hálito. Além disso, fatores externos que causam estresse, como mudança de escola, ansiedade, timidez, excesso de atividades e insegurança com o corpo, também podem desencadear o problema.

Nesses casos, os pais devem ficar atentos a eventuais mudanças de comportamento dos filhos. Vale lembrar que as boas práticas de higiene bucal devem ser seguidas em todas as fases da vida. Beber muita água e ter uma alimentação balanceada também contribuem para um bom hálito. Em caso de dúvidas, consulte um dentista ou um médico especializado no trato digestivo.

 

Fonte: Equipe portal
Publicidade