Ptialismo: quando o excesso de saliva se torna um problema

16 out 2017
11h00
atualizado em 19/7/2018 às 15h38

Quando a boca fica seca, todos sabemos o que fazer. Basta buscar um copo de água e o problema está resolvido, certo?. Mas você já pensou se acontecesse o contrário?

Sim, a salivação em excesso existe e muitas vezes pode se tornar um problema de saúde bucal. Conhecida pelos nomes de sialorreia ou ptialismo, é uma desordem caracterizada pela hipersalivação que pode ocorrer em qualquer pessoa, mas é mais frequente em mulheres grávidas.

Para entender melhor sobre essa desordem e suas consequências, é importante primeiro saber um pouco mais sobre a saliva. Ela é um fluido viscoso, composto de água, muco e outros componentes, que se origina a partir das glândulas salivares encontradas na boca. Este líquido de natureza orgânica desempenha funções importantes nos processos fala e de digestão, e deve ser sempre abundante na boca.

Foto: Thinkstock


Por isso, produzimos diariamente cerca de um litro e meio de saliva. Já as pessoas que sofrem de ptialismo acabam produzindo até o triplo, gerando uma perda de um a dois litros de líquido por dia. Nestes casos, a desidratação pode ser uma possível condição associada com a produção excessiva de saliva.

As causas exatas desta desordem ainda são incertas, mas já se sabe que, durante a gravidez, está provavelmente associada com alterações hormonais. Outros fatores associados à essa desordem são o tabagismo, estresse e uso de alguns medicamentos.

A boa notícia é que, na maioria dos casos, o ptialismo é temporário e não requer nenhum tratamento. Entretanto, quando não desaparece em algumas semanas, o recomendado é consultar um especialista para fazer um tratamento que regularize a produção de saliva.

Fonte: FF Este conteúdo é de propriedade intelectual do Terra e fica proibido o uso sem prévia autorização. Todos os direitos reservados.
publicidade