ONG trata dentes de vítimas de violência

Projeto é um braço da Turma do Bem e ajuda mulheres transexuais

29 ago 2018
13h00

O "Apolônias do Bem" oferece desde 2012 assistência odontológica integral e gratuita à mulheres que sofreram algum tipo de violência ou agressão que afetou sua dentição. Atualmente já são mais de 1000 mulheres cisgênero e transgênero que foram beneficiadas pela ação.

A escolha é feita a partir de uma triagem com rápido exame oral e um formulário que mede o impacto da saúde bucal na vida da pessoa. Todo o trabalho é feito por uma rede de dentistas voluntários que podem atender qualquer tipo de complexidade. Após o encerramento 

O trabalho tem efeito prático na vida de diversas mulheres e devolve a autoestima às mulheres: "Eu deixei de sorrir. Tentei pelo SUS, mas só fizeram arrancar meus dentes", conta Daniella de Castro ao jornal Folha de São Paulo. Ela havia sido agredida e conseguiu atendimento pelo "Apolônias do Bem".

Por que Apolônias?

Personagem histórica, Apolônia viveu em Alexandria e morreu em 249, após ser presa, espancada e ter seus dentes quebrados e arrancados. Com o projeto, a Turma do Bem leva assistência odontológica para as apolônias de hoje, que também estampam a marca da violência em seus rostos.

Antes
Antes
Foto: Divulgação
Depois
Depois
Foto: Divulgação

 

Fonte: FF

compartilhe

publicidade
publicidade