PUBLICIDADE

Obstáculos da dieta: a relação entre os cinco sentidos e a vontade de comer mais

Nutróloga revela como todo o organismo pode sabotar o plano de emagrecimento. Aprenda a driblar os obstáculos da dieta

18 mai 2022 08h02
| atualizado às 11h13
ver comentários
Publicidade
Conheça os obstáculos da dieta
Conheça os obstáculos da dieta
Foto: Shutterstock / Saúde em Dia

Grande parte das pessoas que já tentaram emagrecer, em algum momento da jornada, se depararam com os temidos obstáculos da dieta. Sabe aquela tentação que aparece do nada e te faz furar o plano alimentar? Pois saiba que, provavelmente, algum dos seus cinco sentidos que foi ativado de uma maneira contraproducente e acabou destruindo tudo que você havia planejado. Mas, a boa notícia é que existem maneiras de controlar esse tipo de problema.

"Nariz, olhos, ouvidos, tato e, por fim, a boca. Além da comida ativar os cincos sentidos, é possível que uma pessoa coma mais quando não repara em cada um deles. Isso pode gerar a compulsão e, consequentemente, quilos a mais", alerta a médica nutróloga, Dra. Ana Luisa Vilela, especialista em emagrecimento.

Dessa maneira, a profissional listou como cada um dos cinco sentidos pode atrapalhar o processo de emagrecimento e o que fazer para driblar esses obstáculos da dieta. Confira:

1 - Olfato. Quem nunca sentiu o cheiro de café vindo da cozinha e ficou com vontade de comer um pãozinho "do nada"? Antes de devorar tudo que se encontra na mesa, é melhor respirar e raciocinar friamente. "O cérebro pode se sentir satisfeito a apenas com fragrâncias. Leve sempre o prato perto do nariz antes de colocá-lo na boca. Feche os olhos e perceba o cheiro dele. Pode até ser que, só de sentir o aroma, a vontade de comer compulsivamente passe", conta a Dra. Vilela.

2 - Visão. A expressão "comer com os olhos" nunca fez tanto sentido, não é mesmo? Segundo a nutróloga, a visão traz uma enorme influência sobre o que comemos. Mas, ter uma mesa decorada ou um prato bonito não significa que você precisa devorar tudo desenfreadamente. A dica da médica e notar cada detalhe do prato, como as cores, texturas e formas. Após isso, o ideal é colocar uma quantidade pequena de comida no prato. Isso ajuda a não comer de modo automático.

3 - Audição. O barulho da pipoca estourando, da embalagem do salgadinho abrindo ou dos talheres batendo na louça. Tudo isso pode dar vontade de comer. Mas, ao escutar esse tipo de som, avalie o que você realmente sente naquele momento. "Aqui vale sempre a pergunta a si mesmo: há prazer em mastigar ou há fome?", avisa a nutróloga.

4 - Tato. Comer com as mãos pode aumentar a chance de se alimentar compulsivamente. "A facilidade de ter uma sanduiche nas mãos, por exemplo, exclui a necessidade de utilizar talheres e acaba estimulando ainda mais as mordidas. A dica é retirar pequenos pedaços aos poucos e deixar a comida sempre no prato", ensina.

5 - Paladar. Obviamente, o paladar não poderia ficar de fora. Mas, ao contrário do que alguns imaginam, o erro aqui é não sentir o gosto da comida direito. Comer rápido ou com pressa pode te fazer comer mais. Por isso, mastigue bem os alimentos, com calma e tranquilidade. "É deste modo que conseguimos conhecer novos alimentos e dar mais chances para os crus e in natura - que são sempre os mais saudáveis e menos calóricos", finaliza a Dra. Vilela.

Saúde em Dia
Publicidade
Publicidade