PUBLICIDADE

Tá com nada? Dieta do BBB causa mau humor e prisão de ventre

Cézar engordou 4kg e ficou 49 dias a base de ovo, goiabada, leite, arroz e feijão; especialistas explicam os riscos e prejuízos de um cardápio tão limitado

16 mar 2015 15h52
ver comentários
Publicidade

Na última semana, Cézar, do BBB15, ficou tão feliz que até chorou ao comer carne pela primeira vez em 49 dias. Logo no café da manhã, ele se esbaldou com um prato de carne cozida e também atacou bolachas e outros alimentos que não via há tempos. Desde que entrou na casa, há quase dois meses, ele perdeu todas as provas de comida e estava na turma “Tá Com Nada” com direito a comer só arroz, feijão, leite, ovo e goiabada. Ele se livrou do cardápio restrito depois de vencer um sorteio e garantir uma vaga no grupo “Tá com Tudo”.

Siga Terra Estilo no Twitter

<p>Cézar engordou 4kg desde que entrou no BBB15</p>
Cézar engordou 4kg desde que entrou no BBB15
Foto: Paulo Belote / TV Globo / Divulgação

Segundo Mayara Rodrigues, nutricionista consultora do Meeting de Nutrição Estética, todo este tempo com opções tão reduzidas no prato não causou nenhum prejuízo grave à saúde do paranaense de 30 anos. Isso porque o feijão garantiu ferro e proteína, ovo também tem altos índices protéicos, arroz contém carboidrato e leite entra, entre outras coisas, com lipídios, vitamina A e cálcio.

Prejuízos: mau humor e cárie
Mas a privação de algumas vitaminas e minerais pode ter complicado um pouco a vida do estudante de direito no confinamento. "Essa falta de nutrientes pode ter causado constipação intestinal, falta de disposição, excesso de sono e variação de humor", explicou ao Terra.

Além de afetar o humor, a repetição do cardápio teve efeito também no peso de Cézar. O brother engordou quatro quilos desde que entrou no reality show: de 85kg saltou para 89kg. A goiabada pode ser a culpada por este resultado na balança porque o doce tem entre cinco e 10 vezes mais calorias por grama do que a maioria das frutas. E não é só isso: "o excesso no consumo de goiabada, alimento rico em açucares simples, favorece o aumento do risco de cárie dentária", afirma a Dra. Valdirene Neves dos Santos, doutora em nutrição pela Faculdade Federal de São Paulo (Unifesp) e consultora da Associação Brasileira de Nutrição (Asbran).

Menor a opção, maior a quantidade
Segundo ela, o exemplo de uma alimentação tão restrita serve de alerta para danos a longo prazo à saúde. Isso porque as pessoas tendem a comer maiores quantidades quanto menor a variedade à mesa, seja por falta de opção ou mesmo por sempre escolher o que agrada ao paladar.

Sobre as opções disponíveis no BBB, o excesso de gordura saturada do leite, por exemplo, aumenta os riscos de dislipidemias, excesso de lipídios no corpo. A presença diário do ovo também é questionável pelos altos índices de colesterol da gema que pode agravar a hipercolesterolemia, o que conhecemos como altos índices de colesterol ruim, tratada como uma condição assintomática, mas um tanto comum e prejudicial na população adulta.

<p>Segundo especialistas, restringir e repetir tanto a alimentação pode causar danos a longo prazo para a saúde</p>
Segundo especialistas, restringir e repetir tanto a alimentação pode causar danos a longo prazo para a saúde
Foto: Paulo Belote / TV Globo / Divulgação

Como equilibrar o prato?
Apesar das necessidades do corpo variar de pessoa para pessoa, o Ministério da Saúde sugere três porções diárias ou 400g de frutas e a mesma quantidade de verduras e legumes, alimentos que ficaram longe de Cézar por este período.

No Guia Alimentar para a População Brasileira, lançado pelo Ministério em 2014, especialistas listam critérios para uma dieta ideal e aconselham priorizar alimentos in natura e minimamente processados para um consumo médio diário de duas mil calorias divididas em seis porções (café da manhã, almoço, jantar e lanches intermediários). Deste total, recomenda-se que 50 a 60% do aporte energético seja de carboidratos, 15% preferencialmente proteína e 25 a 30% de lipídios. 

Para saber exatamente com o que encher o prato em cada uma das refeições, existe a Pirâmide dos Alimentos, que foi alterada em 2013 depois de quase 20 anos sem mudanças. Na nova versão, a quantidade de porções de vegetais aumentou, entraram frutas, sugeriram a troca de cereais refinados para alimentos integrais, como arroz e pão, além de opções mais magras de proteínas, como carne, peixe, feijão e castanhas. Por fim, recomenda-se a redução da manteiga e gordura trans e substituição por azeite e canola. Confira os detalhes abaixo:

Foto: Terra

Pirâmide alimentar - Como ter uma alimentação saudável e equilibrada Pirâmide alimentar - Como ter uma alimentação saudável e equilibrada

Fonte: Terra
Publicidade
Publicidade