PUBLICIDADE

Reeducação alimentar: como começar?

A seguir, confira os benefícios do programa e algumas dicas simples de como dar o primeiro passo

27 jun 2021 11h02
ver comentários
Publicidade
A reeducação alimentar favorece a adoção de hábitos saudáveis
A reeducação alimentar favorece a adoção de hábitos saudáveis
Foto: Shutterstock / Saúde em Dia

Em palavras simples e objetivas, a reeducação alimentar nada mais é do que um processo de transformação e mudanças favoráveis com hábitos alimentares saudáveis, mas sem esquecer a individualidade e o prazer em comer bem.

Ela traz um profundo conhecimento para que se possam fazer escolhas no dia a dia, como em um restaurante, festas e demais situações. Se pudéssemos defini-la em uma palavra, seria equilíbrio. 

Afinal, o que a reeducação alimentar traz de bom?

A alimentação constitui a principal forma de cuidar da saúde e por meio dela é possível prevenir o aparecimento da obesidade e de doenças futuras. "Tenha na nutrição uma forma de medicina preventiva, pois as pessoas são o reflexo do que comem", aconselha a nutricionista Jeniffer Beckerig. 

Abaixo, listamos algumas dicas de como iniciar o processo:

Faça refeições nos horários corretos 

Ficar muitas horas sem comer cria uma maior sensação de fome, o que leva a pessoa a fazer, posteriormente, refeições muito pesadas e mais volumosas.

Por isso, o indicado é que as refeições não tenham muito tempo entre si.

 "A reeducação alimentar recomenda comer a cada três horas, embora isso varie de acordo com cada pessoa. Essa recomendação não se dá só pelo fato de a ingestão aumentar o metabolismo pelo processo de digestão e absorção do alimento, como também ajuda o indivíduo a não chegar à próxima refeição com fome", esclarece a profissional. 

Outra dica para quem não quer ganhar quilos a mais na balança é comer a salada antes do almoço, já que dará mais saciedade e, consequentemente, fará com que a pessoa coma menos na hora do prato principal. Por outro lado, a salada também pode ser ingerida junto com o prato principal, pois este hábito também fará com que seja servida menos quantidade de arroz, macarrão, carne, batata e outros alimentos mais calóricos.

Monte um prato colorido

Reeducação alimentar. Crédito: Shutterstock 
Reeducação alimentar. Crédito: Shutterstock
Foto: Saúde em Dia

O consumo regular e variado de frutas, legumes e verduras ajuda a evitar a deficiência da maior parte das vitaminas e dos minerais, importantes para manter todas as funções do corpo, inclusive as de defesa contra infecções. "Por isso, o consumo adequado desses alimentos auxilia na prevenção e no controle da obesidade e de outros males como diabetes e doenças cardíacas", afirma Jeniffer.

Beba bastante água 

A água hidrata o organismo, previne a prisão de ventre e facilita a drenagem de toxinas. Ou seja, é um ingrediente simples e barato que ajuda a manter a saúde e a boa forma. A quantidade para ingestão varia de indivíduo para indivíduo, mas deve girar em torno 2 litros de água por dia. 

Modere o consumo de sal

O excesso do alimento pode ocasionar hipertensão arterial, enxaqueca e arteriosclerose (endurecimento da parede arterial). "Para as pessoas saudáveis, a dose máxima de sal recomendada pelo Ministério da Saúde é de 5g por dia. Os brasileiros, no entanto, consomem cerca de 10g, o dobro do recomendado, sem contar o sal dos alimentos ingeridos fora de casa", alerta a nutricionista. 

Atenção para a quantidade de açúcar

Os doces são muito saborosos, não há como negar, porém é preciso se atentar à quantidade. Não só porque ingerimos calorias a mais, mas também porque obrigamos o pâncreas a um desgaste maior. Quando o pâncreas é demasiado estimulado, gasta a sua capacidade de produzir insulina, o que está associado à obesidade e ao desenvolvimento de diabetes. Por isso, aproveite com moderação. 

Lembre-se que para obter maior sucesso no processo de reeducação alimentar, o ideal é consultar um profissional de nutrição. 

Consultoria: Jeniffer Beckerig, nutricionista 

Saúde em Dia
Publicidade
Publicidade