0

Governo do DF limita horário de funcionamento de bares e restaurantes até 23h para frear covid-19

Medida restritiva foi tomada por meio de decreto após o governo ter observado tendência de aglomeração nos estabelecimentos

1 dez 2020
15h23
atualizado às 20h53
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

BRASÍLIA - O governo do Distrito Federal decidiu nesta terça-feira, 1, que bares e restaurantes só podem funcionar até as 23h. A medida visa "conter a disseminação da covid-19 e garantir o adequado funcionamento dos serviços de saúde", segundo decreto assinado pelo governador Ibaneis Rocha (MDB). Antes não havia limite para funcionamento destes estabelecimentos.

O último Boletim Observatório Fiocruz covid-19, divulgado na última sexta-feira, 27, coloca o DF entre as oito unidades da federação que registraram taxas de mortalidade "mais elevadas" pela pandemia em análise feita com dados de 8 a 21 de novembro.

O DF foi o primeiro entre as 27 unidades da federação do Brasil a adotar medidas de isolamento para restringir a circulação de pessoas contra a covid-19. No dia 11 de março, Ibaneis suspendeu aulas e proibiu eventos. No fim de junho, porém, o governador anunciou um forte recuo, com retorno de diversos serviços. Em entrevista ao Estadão, à época, ele afirmou que "restrições" já não serviam para nada, pois se havia se esgotado o "limite" da população. "(O serviço de saúde) Vai lotar nada. Vai ser tratada como uma gripe, como isso deveria ter sido tratado desde o início", disse Ibaneis.

Segundo dados do Ministério da Saúde, o DF e o Rio de Janeiro apresentam 131 mortes a cada 100 mil habitantes, a maior taxa do País. A média brasileira é de 81 mortes sob este mesmo recorte.

Em nota, a Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do DF (Fecomércio-DF) diz ser contra o fechamento de serviços e promete "reforçar os protocolos de segurança", além de promover campanhas de conscientização. O mesmo comunicado apresenta opiniões contrárias ao fechamento de atividades a partir das 23h, como do Sindicato de Hotéis, Restaurantes, Bares e Similares de Brasília (Sindhobar-DF).

SP e RS também fizeram restrições

Nesta segunda-feira, 30, foi anunciado que todo o Estado de São Paulo vai entrar na fase 3 (amarela) do plano de flexibilização da quarentena para o novo coronavírus, o que significa uma regressão para 11 regiões, inclusive a capital, que estavam na fase 4 (verde), menos restritiva. As medidas começam a valer a partir da próxima quarta-feira, 2.

Assim, comércio, bares, restaurantes, academias e eventos culturais terão mais restrições, principalmente no que se refere à capacidade para público e horário de funcionamento.

As principais diferenças da fase 3 (amarela) em relação à fase 4 (verde) estabelecem que a maioria dos setores reduza o atendimento de 60% para 40% da capacidade total, funcionem por apenas 10 horas e até as 22 horas, no máximo.

Bares e restaurantes continuam permitidos a atender presencialmente, mas para apenas 40% da capacidade total do estabelecimento, que pode ficar aberto até 23 horas, mas precisa encerrar o serviço às 22 horas.

No Rio Grande do Sul, entrou em vigor nesta terça-feira, 1º, um decreto estadual que restringe o funcionamento do comércio, bares e restaurantes e que suspende festas de fim de ano, inclusive em condomínios.

Conforme o decreto estadual, o comércio poderá operar somente até às 20h. Já os restaurantes e bares ficarão abertos até as 22 horas, com clientes sentados, com distanciamento de dois metros entre uma mesa e outra e sem música ao vivo. Os estabelecimentos que trabalham com delivery terão de encerrar as atividades até 23 horas.

Veja também:

Influencers falam sobre doenças crônicas nas redes
Estadão
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade