PUBLICIDADE

Em tratamento contra o câncer, Rita Lee lança single; entenda a doença da cantora

Diagnosticada em maio desse ano com câncer no pulmão esquerdo, artista reaparece nas redes

24 set 2021 14h02
ver comentários
Publicidade
Novo trabalho da cantora anima fãs
Novo trabalho da cantora anima fãs
Foto: Reprodução Instagram @roberto_de_carvalho / Saúde em Dia

A cantora Rita Lee, de 73 anos de idade, foi diagnosticada com câncer no pulmão esquerdo, em maio desse ano. Desde então, em tratamento contra a doença, a artista se afastou um pouco das redes sociais. Porém, nesta quinta-feira (23), ela anunciou o lançamento de seu mais novo single "Change", em parceria com seu marido Roberto de Carvalho e o músico e compositor Gui Boratto.

A aparição é uma ótima notícia para os fãs da cantora, que torcem para sua rápida recuperação. E também coincide com a exposição "Samsung Rock Exhibition - Rita Lee", no MIS (Museu da Imagem e do Som de São Paulo), que reúne grandes memórias e lembranças dos 50 anos de carreira da artista.

O câncer de pulmão, doença que acometeu Rita Lee esse ano, de acordo com INCA (Instituto Nacional de Câncer), é o tumor mais comum entre homens e mulheres no Brasil. Uma das principais causas do problema é o tabagismo e a exposição passiva e constante ao tabaco, substância presentes no cigarro.

Para a Dra. Mariana Laloni, oncologista do CPO Oncoclínicas os primeiros indícios de problemas graves no pulmão são tosse frequente, falta de ar e dor no peito. "Em outros casos, a pessoa pode perder peso e sentir fraqueza. Em cerca de 15% das vezes, o tumor é diagnosticado por acaso, quando o paciente realiza exames por outros motivos. Por isso, a atenção aos primeiros sintomas é essencial para que seja realizado o diagnóstico precoce da doença, o que contribui amplamente para o sucesso do tratamento", diz.

Identificar a formação dos primeiros tumores logo no início é fundamental para se obter êxito no tratamento. E, segundo a oncologista Milena Ribeiro, o diagnostico é realizado por meio de exames clínicos como tomografias e biópsias. Por isso, é importante realizar check-ups médicos com certa frequência.

"Na maioria dos casos esse tumor primário surge em um único órgão e no caso dos pulmões, inicia o seu desenvolvimento apenas em um lado. À medida que a doença evolui, pode apresentar lesões também no pulmão contralateral", explica a Dra. Milena.

O tratamento pode ser realizado com o uso de medicamentos, quimioterapia, imunoterapia e até mesmo procedimentos cirúrgicos. Tudo vai depender das individualidades de cada paciente. Segundo o jornal Folha de S. Paulo, o tratamento que Rita Lee recebe atualmente é a radioterapia. Método que utiliza radiações para destruir células cancerígenas e impedir que elas aumentem no organismo.  

Fontes: Dra. Mariana Laloni, oncologista do CPO Oncoclínicas / Milena Ribeiro, oncologista / jornal Folha de São Paulo.

Saúde em Dia
Publicidade
Publicidade