0

Dieta de baixo resíduo

6 nov 2018
07h11
  • separator
  • comentários

Caso uma pessoa seja diagnosticada como doença inflamatória intestinal como doença de Crohn, colite ulcerativa ou diverticulite o médico pode encaminhar para que um nutricionista repasse uma dieta de baixo resíduo. Essa dieta elimina alimentos ricos em fibras, como grãos integrais e cereais, castanhas, sementes, frutas in natura ou secas e vegetais. Resíduo refere-se ao alimento não digerido, incluindo fibra, que aumenta o bolo fecal. O objetivo dessa dieta é ter menos e menores movimentos intestinais diários. Isso irá aliviar os sintomas como diarreia, empachamento, gases e câimbras gástricas. 

Essa dieta pode ser recomendada apenas por um curto período quando ocorrer algum episódio gastrointestinal ou após uma cirurgia para ajudar com a recuperação. Mas, não é um planejamento alimentar geral para qualquer pessoa com doença inflamatória intestinal. A doença de Crohn pode tornar mais difícil a absorção de nutrientes pelo corpo. A pele e as sementes de muitas frutas e vegetais são ricas em fibras, por isso você precisa descascá-las e evitar as sementes. Os laticínios são OK, mas com moderação, pois apesar de não terem fibras caso a pessoa seja intolerante à lactose poderá provocar diarreia e câimbras abdominais. 

Alimentos como crucíferos, feijões, conservas, pipoca, grãos integrais, sementes, carnes curadas e sucos com polpa devem ser evitados nesse tipo de dieta. Faça um diário alimentar por algumas semanas e veja como os alimentos afetam a sua função gastrointestinal. Lembre-se essa dieta não é saudável em longo prazo porque é deficitária em nutrientes importantes. Por isso, converse sempre com o médico e nutricionista para garantir que irá obter os nutrientes que precisa.

Referência

http://www.webmd.com/ibd-crohns-disease/low-residue-diet-foods?ecd=wnl_din_032416&ctr=wnl-din-032416_nsl-promo-2_title&mb=voAu2w9N73u3p993LPWFqRXFE73IOX1c0OaTzBd4F8E%3d

Estadão Conteúdo

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade