0

Dicas importantes para evitar a intoxicação alimentar

8 mar 2019
06h35
  • separator
  • comentários

Especialmente durante o verão, é muito comum as pessoas passarem mal em decorrência de algum tipo de intoxicação alimentar, principalmente por estarem de férias em praias e clubes e consumirem alimentos nas ruas e em restaurantes desconhecidos.

Trata-se de um problema de saúde causado pela ingestão de água ou alimentos contaminados por toxinas ou parasitas, como fungos, vermes, vírus e bactérias e, na maioria dos casos, pode estar relacionada à falta de higiene e à conservação inadequada dos alimentos.

Como acontece?

De um modo geral, as contaminações alimentares ocorrem por falhas na manipulação e conservação dos alimentos. E a atenção com a qualidade dos produtos deve começar no supermercado. Algumas dicas podem ajudar a evitar o problema:

Após as compras, o tempo máximo para o armazenamento dos itens perecíveis deve ser de até 2 horas, evitando deixá-los em locais quentes durante o transporte. Também vale lembrar que carnes, frango e ovos, por exemplo, já vêm com bactérias, mas é a forma do armazenamento que faz com que elas se multipliquem e causem doenças.

Enquanto isso, antes de manusear os alimentos, é indispensável que se lave as mãos com água e sabão e sempre verifique a validade do produto. Também não se deve utilizar latas amassadas, estufadas, enferrujadas ou quaisquer produtos com embalagens alteradas.

Descongelamento

Quanto ao descongelamento, deve ser feito sempre na geladeira ou no micro-ondas, pois os alimentos devem se manter gelados até o cozimento e consumo e não devem ser recongelados. Carne crua deve ser evitada.

Por fim, durante o consumo dos alimentos, não utilize os mesmos utensílios para manipular mantimentos crus e cozidos. Além disso, se a comida não for consumida imediatamente, guarde na geladeira e não a deixe exposta no fogão. Os leites e derivados devem ser sempre pasteurizados ou fervidos.

Estadão

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade