0

Covid-19: OMS classifica América do Sul como novo epicentro

Entidade alerta para situação no Brasil e desaconselha, mais uma vez, o uso da cloroquina em pacientes

22 mai 2020
13h28
atualizado às 15h07
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator
iretor do programa de emergências da Organização Mundial da Saúde (OMS), Michael Ryan
iretor do programa de emergências da Organização Mundial da Saúde (OMS), Michael Ryan
Foto: Reuters

O diretor do programa de emergências da Organização Mundial da Saúde, Mike Ryan, afirmou em entrevista coletiva nesta sexta-feira (22) que a América do Sul se tornou o novo epicentro mundial da pandemia do novo coronavírus. O continente já soma 554.321 casos de covid-19 e 28.168 mortes causadas pela doença, segundo dados atualizados diariamente pela plataforma Worldometer. Mais da metade dos infectados foram reportados pelo Brasil, cujo Ministério da Saúde registrou 310.087 casos nesta quinta-feira, 22. O País também contabiliza a maior parte das mortes na região, com 20.047 óbitos.

Logo atrás no número de contaminações estão Peru (108.769 infectados e 3.148 mortos) e Chile (61.857 casos e "apenas" 630 óbitos). A Argentina, país com a terceira maior população absoluta da América do Sul, está em sexto no ranking de casos e óbitos pela covid-19, com 9.931 infecções registradas e 419 mortes pela doença.

De acordo com informações compiladas pela Universidade Johns Hopkins, os Estados Unidos superaram a marca de 95 mil mortos pela covid-19 no país, consolidando-se como a região mais afetada pela pandemia de coronavírus no mundo. Os EUA registram cerca de 1,58 milhão de contaminações, ainda segundo a universidade norte-americana.

Na Europa, o Reino Unido anunciou hoje que irá impor uma quarentena compulsória de 14 dias a pessoas que chegarem de países estrangeiros em todas as regiões britânicas. A determinação, informada pela secretária para Assuntos Internos, Priti Patel, passa a valer a partir do dia 8 de junho. O governo britânico também divulgou os números de novos casos e óbitos da covid-19. Nas últimas 24 horas, foram registrados mais 3.287 infectados e 351 mortos no Reino Unido, que agora soma 254.195 casos e 36.393 óbitos causados pela doença.

O governo da Espanha acatou o pedido das cidades de Madri e Barcelona para as regiões passarem à fase 1 de retomada das atividades, segundo plano de flexibilização das medidas restritivas contra a pandemia de covid-19 no país. Os municípios constituem as duas maiores regiões metropolitanas da Espanha. Além da capital espanhola e de Barcelona, também passaram para a primeira fase as comunidades de Castela e Leão. Ao todo, o país registrou 234.824 contaminados e 28.628 mortos pela covid-19, com 446 novos casos e 59 óbitos nas últimas 24 horas.

Ajuda a Estados do Brasil

Ryan foi questionado sobre a situação da pandemia de coronavírus no Brasil, durante entrevista coletiva virtual. Ryan afirmou que a entidade reconhece a gravidade do caso do País neste momento e tem dado "assistência direta" a vários Estados, citando alguns dos mais afetados e comentando que São Paulo é o mais afetado em números absolutos, com o Amazonas sendo o mais afetado proporcionalmente ao tamanho da população.

Ryan também disse que a OMS "tomou nota" da orientação do governo federal sobre o uso da hidroxicloroquina. Nesta semana, o Ministério da Saúde publicou protocolo que prevê o uso de cloroquina e da hidroxicloroquina desde os primeiros sinais da covid-19. "Estudos e evidências clínicas não apoiam o uso da hidroxicloroquina para a covid-19", afirmou o diretor executivo da OMS. Na quarta-feira, 20, Ryan já havia dito que esses medicamentos "até agora não se mostraram eficazes" contra a doença.

Veja também:

Beirute: A mãe em trabalho de parto durante a explosão
Estadão
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade