0

Campanha de vacinação em SP começa na segunda-feira

Plano inicial é nos profissionais que estão na linha de frente do combate à pandemia

17 jan 2021
18h59
atualizado às 19h01
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

A vacinação contra a covid-19 em São Paulo começa nesta segunda-feira, 18, no complexo do Hospital das Clínicas, para profissionais de saúde que atuam na linha de frente contra a pandemia. O cronograma anunciado anteriormente pelo governo, que previa datas para idosos e outros grupos deixa de valer neste momento. Ou seja, ainda não é hora de se dirigir a postos de vacinação.

Enfermeira Mônica Calazans, 54, comemora após receber vacina contra Covid-19, ao lado do governador de SP, João Doria, no Hospital das Clínicas
 17/1/2021 REUTERS/Amanda Perobelli
Enfermeira Mônica Calazans, 54, comemora após receber vacina contra Covid-19, ao lado do governador de SP, João Doria, no Hospital das Clínicas 17/1/2021 REUTERS/Amanda Perobelli
Foto: Reuters

De acordo com informações do governo do Estado, a partir desta segunda entra em operação um plano logístico de distribuição de doses, seringas e agulhas, com envio das grades para imunização de trabalhadores de saúde de seis hospitais de referência do Estado: os hospitais das Clínicas da USP da capital e de Ribeirão Preto, o de Campinas (Unicamp), o de Botucatu (Unesp), o de Marília (Famema) e o Hospital de Base de São José do Rio Preto (Funfarme).

As unidades foram selecionadas para a fase inicial porque são hospitais-escola regionais, com maior fluxo de pacientes em suas áreas de atuação. Todos devem iniciar nesta semana a vacinação de suas equipes, que totalizam 60 mil trabalhadores.

Só do HC da capital devem ser vacinados cerca de 30 mil profissionais. Neste domingo, logo após a Coronavac ser aprovada para uso emergencial pela Anvisa, pouco mais de cem pessoas já receberam o imunizante, após a enfermeira Mônica Calazans ser vacinada. O governo reservou o espaço de 1.000 m² do Centro de Convenções Rebouças, situado ao lado do complexo hospitalar, onde serão colocadas 30 estações de vacinação que funcionarão 12 horas por dia, das 7h às 19h. Cada pessoa receberá duas doses da Coronavac, com intervalo de 21 dias entre cada aplicação.

Na sequência, grades de vacinas e insumos também serão enviadas a polos regionais para redistribuição às prefeituras, com recomendação de prioridade a profissionais de saúde que atuam no combate à pandemia. Os municípios também deverão imunizar a população indígena com apoio de equipes da atenção primária do SUS, segundo as estratégias adequadas ao cenário local.

Cada hospital será responsável pelo preenchimento dos sistemas de informação oficiais definidos pela Secretaria da Saúde para monitoramento da campanha.

A divisão das grades considerou o quantitativo proporcional de vacinas esperado para São Paulo conforme o Programa Nacional de Imunizações (PNI), do Ministério da Saúde.

De acordo com a Secretaria de Estado da Saúde, a campanha de imunização contra a covid-19 em São Paulo será desenvolvida segundo a disponibilidade das remessas do órgão federal. À medida que o Ministério da Saúde viabilizar mais doses, as novas etapas do cronograma e públicos-alvo da campanha de vacinação contra a covid-19 serão divulgadas pelo Governo de São Paulo. O cronograma inicial será readequado dentro da disponibilidade de vacinas.

Veja também:

Conheça as Causas do Mau Hálito
Estadão
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade