PUBLICIDADE

Retorno das provas de corrida: você está pronto? Saiba como se preparar

Especialistas comentam como foi a Maratona de Berlim e dão dicas para voltar às competições com segurança e eficiência

30 set 2021 16h47
| atualizado às 17h08
ver comentários
Publicidade
Retorno das provas de corrida
Retorno das provas de corrida
Foto: Shutterstock / Sport Life

O retorno das provas de corrida de rua foi algo muito aguardado por todos os competidores do planeta. No Brasil, não foi diferente. Depois de meses de espera, por causa das restrições adotadas para combater a pandemia de Covid-19, o calendário esportivo, aos poucos, retoma o caminho de antes. Provas virtuais e presenciais, como a SportLife Run e até mesmo a gigante Maratona de Berlim, na Alemanha, marcam o reinício das competições no Brasil e no mundo.

São excelentes notícias para todos que aguardavam ansiosos pelo retorno das provas de corrida. Porém, após tanto tempo sem competir e com treinos mais limitados, já que as restrições contra a pandemia também influenciaram na preparação da maioria dos atletas, será que já é hora de voltar com tudo? De acordo com José Carlos Fernando, diretor esportivo da Z-Track - Esporte e Saúde, o momento pede um pouco de cautela.

"O retorno aos treinos para quem está parado a quase dois anos por conta da pandemia deve ser cuidadoso e com evolução lenta, duas características que um praticante regular detesta ouvir", conta. Segundo ele, a empolgação e a ansiedade para recuperar o tempo perdido podem ser fatores perigosos para o reestabelecimento físico e mental dos competidores.

"Os abalos emocionais promovidos pela pandemia ainda estão sendo estudados, porém é certo dizer que as pessoas tendem a voltar aos treinos com a disposição de treinar tudo o que não treinaram durante este tempo de isolamento. Acrescente-se a isso uma clara tendencia de se colocar em forma o mais rápido possível para poder participar de provas e eventos esportivos", reforça o treinador.

Impactos da Covid-19 nos corredores

Outro problema que pode atrapalhar os atletas no retorno das provas de corrida é o impacto físico e emocional que o coronavírus gerou. As possíveis sequelas fisiológicas das pessoas que tiveram a doença e o abalo emocional por conta de toda a situação não podem ser descartados. "Basicamente o trabalho deverá ser personalizado, pois existem casos de pessoas que tiveram Covid e outras que não tiveram, isso é um divisor de águas no acompanhamento pois precisamos de um respaldo médico e de exames pós-Covid para saber da real situação de cada pessoa, para então traçar o programa de retorno", explica José Carlos.

"Se o indivíduo que volta aos treinos foi acometido pela Covid, ele deve passar pelo seu médico e realizar uma série de exames para, depois, voltar aos treinos. Normalmente, este esportista tem o seu tempo de retorno totalmente inimaginável. Algumas pessoas relatam sintomas de falta de ar, baixo condicionamento, cansaço, dores musculares e até eventos de febre por vários meses e isso impossibilita uma evolução esportiva. Devemos lembrar que a recuperação física total deve estar à frente de qualquer outra ação esportiva", completa o especialista.

Porém, pessoas que não foram contaminadas pelo coronavírus ou que não tiveram sintomas e sequelas, também precisam de atenção e cuidado no retorno das provas de corrida. Queimar a largada nesse momento pode adiar ainda mais esse reinício tão aguardado. "As pessoas que não tiveram caso de Covid e estão descondicionadas poderão sentir evolução constante no recondicionamento, de forma evolutiva, desde o início dos treinamentos", diz José Carlos.

Retorno precisa ser gradativo

É comum que a vontade de recuperar o tempo que foi perdido durante a paralisação das provas seja enorme. Mas acreditar que, após tantos meses, o rendimento será igual não é uma boa alternativa. O mais recomendado, nesse momento, é ter cautela e apostar em um reinício gradativo. Correndo provas mais simples e tranquilas, com distâncias curtas e menos exigência física e emocional. De acordo com o treinador José Carlos, isso será fundamental para retomar o ritmo de antes.

"O recomendável é que, as pessoas que estão voltando aos treinos após tanto tempo, realizem as provas de menor volume e planejem seu semestre de forma evolutiva, participando de uma prova de 5km no primeiro mês e depois evoluindo no volume até chegar nas características de seus treinos. No caso de corredores de provas de longa duração, a melhor estratégia seria tirar o primeiro semestre para se recondicionar e evitar lesões, para depois montar um planejamento de provas a longo prazo", indica.

Maratona de Berlim gera boa expectativa

A principal competição de 2021, até o momento, foi a Maratona de Berlim, que marcou o retorno das Majors, conjunto das seis grandes maratonas do mundo. A prova teve a surpreendente vitória do etíope Guye Adola, que desbancou o compatriota e favorito Kenenisa Bekele, com o tempo de 2h05m45s no masculino. E consagrou a também etíope Gotytom Gebreslase como a grande campeã do feminino, com o tempo de 2h20m09s.

Porém, além do embate de grandes estrelas do esporte, a Maratona de Berlim também estava cercada de expectativas relacionadas aos atletas comuns e amadores, que tiveram a oportunidade de matar a saudade de competições, em grande estilo. O treinador Nelson Evâncio, que preparou alguns atletas para a disputa, nos contou um pouco sobre a experiência.

"Dessa vez foi bem diferente das anteriores, pois não tínhamos certeza se a prova realmente aconteceria, já que foi adiada na edição anterior e não sabíamos se o pessoal do nosso grupo poderia entrar na Alemanha. Tanto que de 15 inscritos, correram quatro", relata. De acordo com ele, a grande dificuldade para retomar o calendário com uma prova dessa magnitude foi, justamente, a incerteza sobre a realização e a participação dos brasileiros. "Motivar as pessoas que estão treinando fica mais difícil do que antes", conta.

Porém, no final das contas, o sentimento foi de felicidade e satisfação. O retorno das provas de corrida, sobretudo de grandes eventos como a Maratona de Berlim, é uma grande conquista para todos os amantes do esporte, que ficaram tanto tempo sem poder competir. "Sensação de alegria e alívio em saber que há maneiras das provas acontecerem e de forma segura. Fora que como treinador, posso novamente sentir a alegria de ver o resultado do trabalho de meses no rosto das pessoas", revela Nelson.

Vale lembrar que, para que a realização da Maratona de Berlim fosse segura, vários protocolos de segurança foram adotados. Medidas como o escalonamento da largada para evitar aglomerações e o uso obrigatório de máscaras foram fundamentais para preservar a saúde de todos.

O retorno das provas de corrida segue firme no Brasil e no mundo. Inclusive, também é possível participar de provas virtuais, como a SportLife Run, que já está com as inscrições abertas.

Sport Life
Publicidade
Publicidade