PUBLICIDADE

Queda na atividade física na pandemia pode levar ao diabetes

Redução de atividades físicas e o pouco movimento podem impactar diretamente em doenças como diabetes e outras complicações venosas

4 mai 2021
0comentários
Publicidade
Diabetes: causos do tipo 2 podem aumentar com queda na atividade física
Diabetes: causos do tipo 2 podem aumentar com queda na atividade física
Foto: Shutterstock / Sport Life

A pandemia nos deixou mais em casa a maioria do tempo, o que também significa mais tempo parado e menos movimento. Especialistas estimam que a redução no nível de atividade física observada nos primeiros meses de quarentena pode gerar um aumento anual de mais 11,1 milhões de novos casos de diabetes tipo 2 e resultar em mais 1,7 milhão de mortes.

Estudo da Universidade Estadual Paulista (Unesp) revelam em artigo publicado na revista Frontiers in Endocrinology que o confinamento das pessoas reduziu consideravelmente o nível de atividade física, aumentou o comportamento sedentário e piorou a qualidade da alimentação.

Para chegar nessa conclusão, os pesquisadores usaram os dados de levantamento internacional realizado on-line por um grupo de 35 instituições de pesquisa de vários continentes. De acordo com os resultados, nos primeiros meses de confinamento houve redução de 35% no nível de atividade física. Além disso, um aumento de 28,6% nos comportamentos sedentários, como passar mais tempo sentado e deitado, além de maior ingestão de alimentos não saudáveis. Estudos anteriores já mostravam que a inatividade física foi responsável por cerca de 33 milhões de casos de diabetes tipo 2 em 2019.

De acordo com a OMS, adultos entre 18 e 64 anos, devem praticar, por semana, ao menos 150 minutos de exercício aeróbico moderado. Ou 75 de alta intensidade. Além dos riscos de doenças como diabetes, a diminuição de movimentos e muito tempo sentado pode ocasionar em problemas na saúde vascular. Isso, combinado com outras comorbidades, pode piorar o quadro clínico.

Segundo o médico e cirurgião vascular Dr. Marcelo Eckert Zanoni, membro da Sociedade Brasileira de Angiologia e Cirurgia Vascular, se movimentar dentro de casa precisa ser considerado parte da rotina. "Estamos vivendo uma pandemia, mas não podemos descuidar das outras doenças que podem surgir se pararmos de prestar atenção nelas", indica.

4 dicas para se mover mais

1) Movimente-se em sua estação de trabalho: recomenda-se para quem trabalha sentado que, a cada meia hora, levante e realize alguma atividade leve. Essa atividade ajuda a evitar a diabetes e deve durar de dois a cinco minutos, como andar pela casa ou ambiente de trabalho, subir e descer escadas.

2) Controle a alimentação: com a correria do dia a dia, estando sempre em casa, às vezes é difícil se dedicar e preparar refeições frescas diariamente, o que acaba nos levando a pratos prontos. Dedique um dia do final de semana para cozinhar para os dias da semana ou optar por pedidos de refeições frescas e que sejam balanceadas entre as vitaminas e proteínas necessárias.

3) Use meias de compressão graduada: a compressão graduada, promove conforto e bem-estar e, além disso, auxilia no direcionamento correto do fluxo venoso e linfático de volta ao coração. Pois assim. não ocorre o acúmulo de sangue na região inferior das pernas, permitindo uma nítida melhora na circulação. Também reduz a sensação de peso nas pernas, inchaços e outros sintomas.

4) Pratique exercícios: deve ser uma de nossas prioridades na luta contra a diabetes tipo 2. Não estamos somente referindo-se a prática de esportes, mas desde a atividade fisioterápica até os treinos de força e de performance. Inúmeras patologias osteomusculares e pulmonares necessitam de fisioterapia para a sua recuperação e depois de atividade física progressiva. Os treinos online, pilates online e fisioterapia online ganharam força no último ano e tornaram-se alternativa interessantes. Busque orientação de profissional capacitado, acompanhe treinos gratuitos na internet e realize caminhadas próximas a sua casa, de máscara, e em lugares menos movimentados. Assim como o trabalho se adaptou, cuidar da saúde também deve ser uma prioridade.

Sport Life
Publicidade
Publicidade