2 eventos ao vivo

Pesquisa: exercícios físicos melhoram habilidades cognitivas

Pesquisadores descobriram que se exercitar ao menos 52 horas em 6 meses traz benefícios para a saúde do cérebro

4 jun 2018
13h20
atualizado às 13h53
  • separator
  • comentários

A prática de exercícios faz bem para a saúde, e não apenas para o corpo: o cérebro também se beneficia disso. Apesar de este conceito já ser bastante difundido, poucos estudos mostravam de forma prática a relação entre saúde cognitiva e exercícios físicos. Mas uma nova pesquisa publicada no Neurology: Clinical Practice dá dados mais precisos sobre isso.

O estudo, liderado por pesquisadores do Berenson-Allen Center for Noninvasive Brain Stimulation at Beth Israel Deaconess Medical Center (BIDMC), revisou 4.600 estudos e mostra que tipos e quanto de exercício é necessário para ter benefícios. Depois de analisá-los, foram escolhidos 98 estudos com mais de 11 mil participantes inclusos. Os estudos investigavam diversos tipos de exercícios e durações de cada uma das práticas.

Poucos minutos de exercício por semana são insuficientes para produzir benefícios cognitivos significativos
Poucos minutos de exercício por semana são insuficientes para produzir benefícios cognitivos significativos
Foto: Vergani_Fotografia / iStock

A equipe descobriu que quase qualquer tipo de exercício, de aeróbicos até caminhar, corrida e ciclismo a musculação e exercícios que unem mente e copo como ioga, podem contribuir na melhoria do desempenho cognitivo.

Das pessoas analisadas, aquelas que se exercitaram por ao menos 52 horas em seis meses tiveram um nível maior de melhora nas habilidades cognitivas, que inclui a rapidez no processamento de informações, tanto em adultos mais velhos saudáveis quanto naqueles adultos com algum comprometimento cognitivo leve.

"É muito encorajador que a evidência apoia todos os tipos de exercícios físicos, não apenas o aeróbico, para melhorar as habilidades de pensamento", disse Alvaro Pascual-Leone, chefe da Divisão de Neurologia Cognitiva e diretor do Berenson-Allen Center.

Gomes-Osman ressalta que gastar apenas alguns minutos em exercícios por semana, apesar de ajudarem a saúde cardivascular, não ajudam muito na melhoria da saúde do cérebro, sugerindo que as pessoas façam exercícios por mais tempo para conseguir mais benefícios neste quesito. "Nós ainda temos muitas questões sobre exercícios feitos, e nós vamos pensar em novos estudos para realizar", disse Gomes.

Estadão Conteúdo

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade