PUBLICIDADE

Como a nutrição pode nos ajudar a enfrentar a Covid-19

Entenda a maneira que a nutrição serve para enfrentar ou se recuperar da doença e quais seus rumos após a pandemia passar

13 abr 2021
0comentários
Publicidade
Como a nutrição pode nos ajudar a enfrentar a Covid 19
Como a nutrição pode nos ajudar a enfrentar a Covid 19
Foto: Freepik / Sport Life

O papel da nutrição em um melhor desempenho do sistema imunológico deve ser entendido como um processo contínuo e construído ao longo do tempo. "E neste sentido, o acompanhamento clínico de mais de 500 pacientes que contraíram Covid-19 em 13 dos principais hospitais de São Paulo, deixa importantes aprendizados. O principal, sem dúvida, é que uma alimentação balanceada, com a ingestão de proteínas, carboidratos e gorduras, além de micronutrientes como vitaminas e minerais é essencial para a manutenção adequada das defesas do organismo", explica o Dr. Daniel Magnoni, chefe de nutrologia do Instituto Dante Pazzanese, em São Paulo.

"Nenhum alimento por si só é capaz de realizar milagres e melhorar a imunidade, muito menos de um dia para o outro. Alguns nutrientes como a proteína, vitaminas A, C e D, minerais como ferro, zinco, selênio e probióticos são importantes reguladores das funções metabólicas relacionadas à imunidade", acrescenta Dr. Magnoni.

Um ponto importante é a nutrição das pessoas que foram infectadas, tratadas em casa ou tiveram alta hospitalar. Nesses casos a utilização de nutrientes é essencial, a indicação de suplementos especiais que estimulam a imunidade e a formação de músculos é um ponto a ser considerado, desde que tenham indicação médica.

"Os mais indicados devem mesclar, principalmente, vitamina D, vitamina B12 e Cálcio. O mercado neste sentido oferece excelentes opções de suplementos, inclusive uma nova geração, em gomas, mais práticas e com doses diárias completas dos principais nutrientes", diz Dr. Magnoni. "Além da nutrição, outros fatores como a prática regular de atividades físicas, noites de sono de qualidade e a saúde intestinal exercem papel fundamental sobre a imunidade", finaliza o nutrólogo.

Nutrição no mundo pós-pandemia

Quadros de deficiência destes nutrientes podem prejudicar tanto a resposta imune adaptativa quanto a inata, ou seja, própria do indivíduo, interferindo negativamente em aspectos como a produção de células relacionadas à resposta imunológica. Por isso, esses nutrientes devem ser ingeridos regularmente e nas quantidades corretas.

Frutas, verduras e legumes devem ser consumidas entre 3 e 5 porções por dia para fornecerem a necessidade de vitaminas e minerais. No aporte de proteínas, quando existe uma restrição de proteína animal, optar pela origem vegetal, mais eficaz com o consumo de leguminosas como soja, feijão, lentilha e ervilha.

"Após a pandemia deveremos focar em alimentos que contenham nutrientes atuantes no nosso metabolismo, sem excesso de açúcar ou gorduras, principalmente a saturada, de origem animal", sugere Dr. Magnoni.

Sport Life
Publicidade
Publicidade