0

Anvisa publica extrato do termo de compromisso com Butantan

Documento, publicado em edição extra do Diário Oficial da União na noite deste domingo, 17, estabelece as obrigações da agência e do Butantã

17 jan 2021
23h14
atualizado em 18/1/2021 às 15h36
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) publicou o extrato do Termo de Compromisso assinado com o Instituto Butantã. O documento, publicado em edição extra do Diário Oficial da União na noite deste domingo, 17, estabelece as obrigações da agência e do Butantã, "visando a execução do estudo de avaliação da resposta imunogênica de participantes do estudo clínico de fase 3 da vacina Coronavac que desenvolveram a doença e um subgrupo de 10% dos participantes que não desenvolveram a doença nos períodos pré-vacinação, duas semanas e quatro semanas após a vacinação".

Reunião extraordinária da Diretoria Colegiada da Anvisa avalia, neste domingo, 17, a liberação do uso emergencial da Coronavac e da vacina de Oxford
Reunião extraordinária da Diretoria Colegiada da Anvisa avalia, neste domingo, 17, a liberação do uso emergencial da Coronavac e da vacina de Oxford
Foto: Divulgação / Anvisa / Estadão Conteúdo

A diretoria da Anvisa aprovou neste domingo, por unanimidade, o uso emergencial das vacinas Coronavac, desenvolvida pela farmacêutica chinesa Sinovac, que será fabricada e distribuída no Brasil pelo Instituto Butantan, e da vacina desenvolvida pela Universidade de Oxford e a farmacêutica AstraZeneca. Para passar a valer o uso emergencial, a Anvisa determinou que o Butantan assinasse antes esse termo de compromisso para apresentar dados de imunogenicidade da vacina até 28 de fevereiro, e que ele fosse publicado no Diário Oficial. Estas informações devem mostrar por quanto tempo a vacina é segura e eficaz.

Essa exigência chegou a ser considerada uma dificuldade para que o governo paulista abrisse ainda hoje a campanha de vacinação. No entanto, antes de cumprir o rito exigido pela Anvisa, o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), fez uma cerimônia para garantir a primeira foto da vacinação no País. A enfermeira Mônica Calazans, de 54 anos, há oito meses na linha de frente do combate ao coronavírus no Hospital Emílio Ribas, foi a escolhida e a primeira brasileira a receber uma dose da Coronavac.

Veja também:

Covid-19: o pesadelo da 2ª onda em plantão de UTI em Londres
Estadão
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade