2 eventos ao vivo

Alimentos podem combater ou piorar as inflamações

15 abr 2019
06h31
  • separator
  • comentários

Manter um estilo de vida saudável é um grande protetor da saúde. O programa alimentar deve ser rico em frutas, hortaliças e alternativas integrais, apresentando teor energético capaz de manter o peso corporal adequado. Deixar o sedentarismo, praticar exercícios físicos regularmente, controlar a ansiedade e estresse diários são medidas que, aliadas a refeições balanceadas, podem prevenir inflamações.

Do Latim inflammatio (atear fogo), o processo inflamatório é uma reação do organismo a uma infecção ou lesão dos tecidos. A parte do corpo lesionada torna-se vermelha, inchada, quente e, muitas vezes, dolorida. Podemos ver uma inflamação quando ela se localiza na parte externa do nosso corpo.

Combate

Elas podem ocorrer devido a várias causas. A alimentação adequada ajuda e muita com o problema. Mas, para tanto, é importante saber quais são os alimentos que ajudam a combater inflamações e quais os que a causam ou a agravam.

Salmão, por exemplo. Ele contém o aminoácido ômega-3 e é conhecido por tratar de um grande número de problemas de saúde. Outro aliado é o açafrão, poderoso tempero que vem da Ásia e que é um valoroso combatente quando se trata de inflamações.

Aposte também no azeite de oliva ou extra-virgem, batata-doce, gengibre, alho, chá verde, e vegetais crucíferos (brócolis, couve-de-bruxelas, couve e couve-flor), estes últimos repletos de oxidantes.

Para evitar

A dieta anti-inflamatória é uma alternativa para quem quer combater a inflamação do organismo de forma natural. Ela consiste em consumir alimentos com propriedades anti-inflamatórias, a fim de restabelecer o equilíbrio e as defesas naturais do corpo sem o uso de medicamentos.

Os alimentos que causam inflamação do corpo e que devem ser evitados ou consumidos com moderação são: produtos industrializados - devido às substâncias químicas, corantes, conservantes, aromatizantes e flavorizantes contidos em sua fabricação; alimentos ricos em ômega-6, como os óleos vegetais de soja, de algodão, de milho, canola e de girassol.

E mais: cereais refinados, como pães, massas, arroz branco, biscoitos em geral, trigo, maizena e fubá; carnes suínas e bovinas com muita gordura; embutidos; leites e derivados integrais, como queijos amarelos, requeijão, creme de leite e manteiga em excesso e refrigerantes, bebidas alcoólicas, açúcares, doces e frituras.

Estadão

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade