4 eventos ao vivo

Alimentação para idosos exige atenção especial

9 jan 2019
07h11
  • separator
  • comentários

A chegada da chamada melhor idade, na faixa dos 60 anos, é cercada de muitos rótulos e, às vezes, preconceitos. Afinal, muitos acreditam que os idosos apenas esperam o tempo passar. Pura bobagem: eles estão cada vez mais ativos, trabalham, divertem-se e cuidam da própria saúde. Nesse contexto, a alimentação ganha uma importância ainda maior. 

Nesta fase da vida, porém, ampliam-se os cuidados quanto à quantidade e qualidade dos alimentos consumidos, já que existe a diminuição do metabolismo e da atividade física. 

Outro problema é a redução da sensibilidade do paladar e o apetite em queda. Assim, o foco reside na importância do prazer de ingerir refeições gostosas, bem temperada e saudável.

Vegetais, frutas e cereais integrais, por exemplo, são ótimas fontes de fibra. Dessa forma, são alimentos úteis para combater a prisão de ventre, doenças cardiovasculares e diabetes.

Leite e seus derivados

Possuem vitamina D e cálcio, mineral importante para fortalecer ossos e dentes, além de papel importante na a contração muscular. O leite e seus derivados oferecem ainda proteínas, potássio e vitamina B12.

Carne e pão

De preferência magras, as carnes são boas fontes de proteínas e de ferro, assim como os ovos. O ideal é evitar frituras. Prefira consumir carnes grelhadas. 

Pão

As opções enriquecidas com fibras e cereais são as ideais. Por isso, elas devem substituir o pão branco. Esta fonte de carboidrato não precisa ser consumida apenas na forma de sanduíches. Os pães podem acompanhar as refeições assim como o arroz e o feijão.

Leguminosas

Feijão e lentilhas devem fazer parte da dieta. Afinal, possuem alto teor de fibras sem colesterol e são ricas em proteínas. Importante também não esquecer de beber de 6 a 8 copos de água diariamente, seja em forma de sopa, suco ou chás. Deve-se beber mesmo sem sentir sede.

Dicas

Caso existam limitações para mastigar ou engolir, é preciso fazer adaptações na forma de preparo, consistência, textura, tamanho dos alimentos e quantidade ingerida. Moer, ralar e picar em pedaços menores são algumas das alternativas. Para finalizar, é importante também respeitar a sensação de saciedade.

Estadão

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade