0

Acre pede que governo federal feche fronteiras e divisas para evitar colapso

Pedido do governador do Acre, Gladson Cameli, foi feito ao ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo. Autoridade local cita 'momentos difíceis' de Amazonas e Rondônia

26 jan 2021
23h53
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

O governo do Acre solicitou nesta terça-feira, 26, ao governo federal apoio para fechamento das fronteiras e divisas do Estado com objetivo de evitar um colapso na rede pública de saúde. O pedido do governador Gladson Cameli foi feito junto ao ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo.

Em conversa telefônica, Cameli disse ter explicado a grave situação enfrentada pelos vizinhos. "Infelizmente, os nossos vizinhos estão passando por momentos difíceis e estamos fazendo tudo que é possível para evitar que isso também aconteça no Acre. Por isso, pedi ajuda do ministro Ernesto Araújo, para que possamos fechar nossas fronteiras até que a situação se amenize. Nossa prioridade é salvar vidas e continuaremos com o mesmo empenho até o último dia dessa pandemia", declarou Cameli, de acordo com nota divulgada pela sua gestão.

O governo acreano informou que disponibilizou dez leitos de UTI para receber pacientes do Amazonas. Cameli demonstrou ainda sua preocupação com o agravamento da doença em Rondônia, que está com a rede hospitalar comprometida e também deu início a transferências de pessoas para outros Estados.

"A rede pública de Saúde do Acre atende uma parte dos moradores de Rondônia, Amazonas, Bolívia e Peru. Não queremos, de forma alguma, negar ajuda aos nossos irmãos, mas temos um milhão de acreanos que dependem do atendimento nos nossos hospitais. É por essas pessoas que estamos trabalhando dia e noite, para que as suas vidas sejam preservadas", reforçou Cameli.

Segundo o governo do Acre, o ministro teria compreendido a solicitação e prometeu oferecer uma resposta.

Veja também:

Passo a passo para manter a saúde bucal em dia
Estadão
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade