PUBLICIDADE

Erótika Fair: atriz pornô e Coelhas Plus Size são atrações

Maior feira de produtos eróticos da América Latina acontece até domingo (30), em São Paulo; vibradores de até R$ 50 mil são vendidos

28 mar 2014 17h05
| atualizado em 5/12/2014 às 16h28
ver comentários
Publicidade

A 21ª edição da Erótika Fair, maior feira latino-americana de produtos eróticos, começou na última quinta-feira (27) e vai até o próximo domingo (30), em São Paulo. Além de milhares de lançamentos de produtos adultos, como vibradores, masturbadores, óleos, fantasias e apetrechos sado-masoquistas, o evento reúne ainda uma série se shows de striptease, demonstrações de produtos e discussões sobre mercado e comportamento.

Os visitantes e comerciantes do setor poderão acompanhar as mais atuais tendências do mercado aliados ao entretenimento que a feira proporciona. Neste ano, a programação inclui twerk competition, uma nova dança que tem a cantora Miley Cyrus como grande fã, a encenação da peça de teatro Vem Transar com a Gente, com os atores Nizo Neto & Tatiana Presser, shows de striptease masculino e feminino, car wash com meninas lavando os carros dos convidados, competição de pole dance e shows da drag Silvetty Montilla. Há ainda a presença da cápsula da Durex que esteve na casa do Big Brother Brasil e a Erótika Land, um corredor com diversas salas em que strippers fazem demonstrações ao público de fantasias nomeadas como Cadeira Elétrica, Castelo dos Fetiches, Labirinto das Sensações, entre outras.

E, em ano de Copa do Mundo no Brasil, diversos produtos em verde e amarelo lotam os estandes e também há partidas oficiais. Seis meninas disputam até domingo a Copa Erótika Fair de Futebol de Sabão em uma estrutura montada no interior do complexo. No entanto, a grande sensação da feira são as atrizes pornôs tchecas e americanas da produtora X-Art, que circulam pelo espaço com roupas mínimas, posam para fotos em poses sensuais e fazem performances no palco principal. Uma delas, a californiana Jenna, falou ao Terra sobre a profissão: “o mais difícil é não ficar excitada demais nas gravações e a melhor coisa é que amo o meu trabalho e amo fazer sexo”.

<p>As Coelhas Plus Size participam pela primeira da feira</p>
As Coelhas Plus Size participam pela primeira da feira
Foto: Alan Morici / Terra

Há dois anos e meio no mercado, ela diz que as cenas quentes dos filmes pornôs não são o segredo para as mulheres conquistarem um homem e todo o mistério está, na verdade, em uma boa conversa. “Conversem com seus parceiros, digam a eles o que vocês querem e se comuniquem da maneira certa para terem sempre paixão”, aconselhou.

Do outro lado, os dançarinos do famoso Clube das Mulheres também circulam pela feira, jogando charme para o público feminino e dando algumas dicas para maridos e namorados animarem o relacionamento. “Os homens precisam realizar mais as fantasias das mulheres, eles não podem querer manter só a linha casados, têm que mudar um pouco”, comenta o “almirante” Carlos Branco, dançarino do clube há mais de quatro anos.

Pelos corredores, a dupla Coelhas Plus Size também é sensação e não só pelo modelito, mas pelo bom-humor com que atendem às investidas dos curiosos. Com calcinha fio-dental, meia arrastão e salto alto, elas são o tempo todo interrompidas para tirar fotos e responder aos mais diversos tipos de pergunta. “A mais comum que ouvimos é se tamanho importa mesmo, mas respondemos que não é só a penetração que dá prazer, por isso tamanho nem sempre é documento, tem que saber usar”, comentam as empresárias e modelos Daniela Cunha e Daniela Maggah.

<p>Vendida por R$ 15 mil, a boneca inflável Valentina interage com o público via whatsapp </p>
Vendida por R$ 15 mil, a boneca inflável Valentina interage com o público via whatsapp
Foto: Alan Morici / Terra

As amigas são idealizadoras do projeto Ponto GG do Prazer, que dá dicas para que as mulheres plus size aceitem o corpo e realizem as fantasias na cama. "Querendo ou não, a vida gira em torno do sexo, então tem que se aceitar e dar asas ao prazer".

Apesar das mulheres ainda representarem 70% dos consumidores deste mercado, segundo a ABEME (Associação Brasileira das Empresas do Mercado Erótico e Sensual), especificamente nas lojas especializadas, o número de homens tem aumentado. Tanto é que o segundo artigo mais caro da feira foi feito pensando no prazer masculino. A boneca inflável Valentina, que teve a virgindade leiloada no ano passado por R$ 105 mil, está de volta nesta edição. E, quem quiser levá-la para casa precisa desembolsar nada menos do que R$ 15 mil. Mas, se o preço for muito salgado, é possível conversar com a boneca via whatsapp.

Além da Valentina, a feira toda está mais atrelada às tecnologias e redes sociais. Neste ano, o público poderá participar de um concurso de selfies, publicando fotos sensuais de si mesmos com a #erotikaselfie. E, até domingo, um grupo de eroteks participa de uma competição e desenvolvimento  de aplicativos e games eróticos.

O mercado erótico ainda é pequeno no Brasil, considerando que 83% dos brasileiros nunca consumiram nenhum tipo de produto, segundo uma pesquisa do fabricante de preservativos Durex. No entanto, tem aproximadamente 85 mil consumidores que movimentam R$ 1 bilhão por ano. Deste total, mais 70% são mulheres e 95% dos produtos vendidos são para uso em casal, segundo levantamento da ABEME (Associação Brasileira das Empresas do Mercado Erótico e Sensual).

O grande fomento da indústria é a literatura. A trilogia 50 Tons de Cinza, por exemplo, aumentou em 35% as vendas de produtos sadomasoquistas desde 2012. Entre os mais vendidos,  estão os cosméticos em geral, vibradores, anéis penianos e lingeries.  

Dona de sex shop há cinco anos, a paraibana Luciana Pereira vai à feira todo ano para acompanhar as tendências e garante que os óleos de massagem, gel comestível e vibradores são sucesso garantido de vendas. “Mulher paga caro em vibrador e paga satisfeita”, diz.

Fonte: Terra
Publicidade
Publicidade