PUBLICIDADE

Brasil na cabeça! 5 top drinques com ingredientes nacionais

Jean Ponce, que deixou o D.O.M. há pouco mais de um mês, fez cinco coquetéis com exclusividade para o Terra. As receitas foram preparadas com ingredientes brasileiros e cinco destilados diferentes

9 abr 2015 16h10
| atualizado às 19h47
ver comentários
Publicidade

A mandioca, a pupunha e o tucupi já têm seu respeito garantido na gastronomia e viraram queridinhos de chefs. Mas será que a jabuticaba, a cana e o capim-santo também já conquistaram a coquetelaria 'brasuca' e até mesmo a gringa? Ainda é difícil encontrar drinques originais, que vão além da caipirinha, criados com ingredientes nacionais nas capitais do País. Jean Ponce, premiado barman que trabalhou cinco anos no restaurante D.O.M. com Alex Atala - grande responsável pela valorização dos produtos brasileiros - acredita que o boom mundial da nossa coquetelaria ainda vai acontecer, como houve com a gastronomia nos últimos anos.

<p> </p><p> </p><p> </p>
Foto: Leonardo Benassato / Futura Press

Para mostrar que é possível sim criar drinques brasucas – e que não são caipirinha -, o Terra pediu a Jean Ponce para fazer cinco coquetéis usando ingredientes nacionais, com cinco destilados diferentes. "Pensei que seria mais fácil criar os coquetéis com essa proposta", disse o barman, que passou quatro dias em feiras buscando frutas, especiarias e ervas. Ele trouxe às receitas, por exemplo, a compota de jabuticaba, feita com a casca da fruta. "Assim, você pode usar a fruta o ano inteiro, sem depender da época e sem precisar utilizá-la congelada", explica. Capim-santo, caldo de cana, fruta-do-conde e cúrcuma são outros itens utilizados nas criações. Nascido em São Paulo, o barman conta que gosta de “botar o pé no chão”, ir direto nas raízes para pesquisar os itens certos para uma bebida.

<p>Compota de jabuticaba, usada em duas receitas</p>
Compota de jabuticaba, usada em duas receitas
Foto: Leonardo Benassato / Futura Press

Siga Terra Estilo no Twitter

Também interessado por arquitetura, Ponce disse que teve que “construir” os drinques e, por isso, deu a quase todos eles nomes inspirados em obras e peças da construção, como Niemeyer e cobogó – aquele tijolo vazado, que foi criado no Brasil.

Jean Ponce deixou o D.O.M. há cerca de um mês, para abrir seu próprio bar na capital paulista. "O que aprendi em cinco anos foi surreal, mas é o sonho de todo barman ter seu próprio bar". Sobre o novo empreendimento, conta que será um local intimista, para poucas pessoas, cerca de vinte. "Quero eu mesmo preparar o drinque, servir e ter contato com os clientes." Eleito o melhor bartender do Brasil duas vezes pela revista Prazeres da Mesa, Jean Ponce também é embaixador do uísque Bourbon norte-americano Woodford Reserve.

Uma curiosidade: repare que nenhum dos drinques é servido com canudo. “Nada contra eles”, ri e explica: “os canudos limitam a sentir os aromas”. Confira as receitas dos cinco coquetéis exclusivos a seguir. 

<p>Vilanova Artigas, com cachaça saborizada, caldo de cana e capim-santo</p>
Vilanova Artigas, com cachaça saborizada, caldo de cana e capim-santo
Foto: Leonardo Benassato / Futura Press
Vilanova Artigas
Arquiteto paulistano dá nome ao drinque com cachaça saborizada 

Ingredientes
50 ml de cachaça com mel e limão (sugestão de Jean Ponce: Santa Dose)
20 ml de mix de abacaxi com limão taiti
10 ml de calda de gengibre
100 ml de caldo de cana
6 pedras de gelo
Guarnição: capim-santo

Modo de preparo
Para o mix, macerar três gomos de abacaxi com o suco de ½ limão taiti. Para a calda de gengibre, reservar gengibre com açúcar em uma vasilha por um dia, até que a calda solte. Colocar o mix de limão com abacaxi e seis pedras de gelo, adicionar a cachaça, a calda de gengibre e o caldo de cana. Mexer com uma colher de bar e servir. Adorne com capim-santo e, sobre ele, raspe um pouco de limão siciliano para dar aroma.

<p>Tiras de limão siciliano para dar aroma ao capim-santo no drinque Vilanova Artigas</p>
Tiras de limão siciliano para dar aroma ao capim-santo no drinque Vilanova Artigas
Foto: Leonardo Benassato / Futura Press

<p>Cobogó, feito com cachaça, jabuticaba e manjericão</p>
Cobogó, feito com cachaça, jabuticaba e manjericão
Foto: Leonardo Benassato / Futura Press
Cobogó
Tijolo vazado criado no Brasil dá nome a drinque com cachaça do RS

Ingredientes
60 ml de cachaça branca artesanal (sugestão: orgânica Weber Haus)
20 ml de compota de jabuticaba
15 ml de limão siciliano
5 g de cúrcuma
5 g de sal negro
gelo
Guarnição: talo de manjericão

Modo de preparo
Bater todos os ingredientes com gelo e coar para um copo baixo com gelo. Adicionar por último uma pitada de cúrcuma e sal negro.

<p>Niemeyer 102, com uísque bourbon e pó de beterraba</p>
Niemeyer 102, com uísque bourbon e pó de beterraba
Foto: Leonardo Benassato / Futura Press
Niemeyer 102
Arquiteto de Brasília dá nome a coquetel clássico e premium com uísque bourbon norte-americano

Ingredientes
50 ml de uísque Bourbon (sugestão: Woodforf Reserve)
20 ml de licor de uísque (sugestão: Southern Comfort)
10 ml de redução de damasco com limão
Cubo de gelo
Guarnição: pó de beterraba

Modo de preparo
Colocar os damascos com gotas de limão em fogo brando até que reduza. Servir direto no copo baixo com um cubo de gelo grande, para que derreta aos poucos. Sobre o cubo de gelo, salpicar pó de beterraba para dar aroma e cor. Usar casca de limão para dar aroma também. 

<p>Raspas de limão para dar aroma ao drinque Niemeyer 102</p>
Raspas de limão para dar aroma ao drinque Niemeyer 102
Foto: Leonardo Benassato / Futura Press

<p>Flor do Cerrado, com vodca e jabuticaba</p>
Flor do Cerrado, com vodca e jabuticaba
Foto: Leonardo Benassato / Futura Press
Flor do Cerrado
Torre digital criada por Niemeyer em Brasília dá nome a drinque com fruta-do-conde

Ingredientes
60 ml de vodca (sugestão: Finlândia)
20 ml de licor de framboesa (sugestão: Chambord)
15 ml de limão taiti
½ fruta-do-conde
gelo
Guarnição: passas de jabuticaba (compota feita com as cascas da fruta)

Modo de preparo
Colocar todos os ingredientes na coqueteleira e bater com gelo. Coar para a taça Martini já gelada.

<p>Fruta-do-conde, ingrediente do coquetel Flor do Cerrado</p>
Fruta-do-conde, ingrediente do coquetel Flor do Cerrado
Foto: Leonardo Benassato / Futura Press

<p>Sweet Martini, com tequila e melaço de cana</p>
Sweet Martini, com tequila e melaço de cana
Foto: Leonardo Benassato / Futura Press
Sweet Martini
Única das cinco receitas que não remete à arquitetura. 
"Quis fugir da Margarita na criação com a tequila", diz Jean Ponce

Ingredientes
60 ml de tequila (sugestão: El Jimador)
10 ml de melaço de cana com gengibre
80 ml de gotas de limão
10 ml de sal negro
Guarnição: pó de beterraba

Modo de preparo
Bater todos os ingredientes na coqueteleira, fazer dupla coagem e servir em copo baixo.

<p>Sweet Martini é coado duas vezes</p>
Sweet Martini é coado duas vezes
Foto: Leonardo Benassato / Futura Press
<p>Jean Ponce deixou o D.O.M., um dos melhores restaurantes do mundo, para abrir seu próprio bar em São Paulo</p>
Jean Ponce deixou o D.O.M., um dos melhores restaurantes do mundo, para abrir seu próprio bar em São Paulo
Foto: Leonardo Benassato / Futura Press

Fonte: Terra
Publicidade
Publicidade