PUBLICIDADE

Valentina Sampaio fala da "nova" Victoria's Secret: "Evolução"

23 jun 2021 12h23
| atualizado às 14h53
ver comentários
Publicidade

O Brasil já foi recordista de angels na grife de lingerie Victoria's Secret, com nomes como Gisele Bündchen, Adriana Lima, Izabel Goulart, Alessandra Ambrosio, Lais Ribeiro e várias outras modelos presentes no casting da marca. Na última semana, a VS anunciou mudança no posicionamento, anunciando o fim das angels e colocando um time de 7 mulheres para serem embaixadoras no que agora é chamado VS Collective, valorizando a diversidade. Entre elas, está a top trans brasileira Valentina Sampaio.

Valentina Sampaio
Valentina Sampaio
Foto: Reprodução/Instagram/ / Elas no Tapete Vermelho

A cearense foi a primeira mulher trans a fotografar para a marca, em 2019, quando foi anunciado o cancelamento do desfile anual, com promessa que aconteceria em 2020, totalmente reformulado. Com a pandemia, a apresentação do ano passado também não aconteceu. E agora, pressionada por mudanças e com a perda de milhões de dólares em vendas, o diretor executivo Martin Walters anunciou o plano de transformação do marketing: apostar na diversidade.

Para isso, anunciou 7 mulheres famosas para representá-las sem necessariamente ostentar as medidas corporais exigidas até recentemente. São elas, a jornalista Amanda de Cadenet, a esquiadora chinesa Eileen Gu, a estrela do futebol feminino Megan Rapinoe, a atriz Pryianka Chopra, as modelos Adut Akech, Paloma Elsesser e Valentina Sampaio.

"Acho que há algo muito poderoso em uma empresa de lingerie que vai além da construção tradicional de fazer um produto"

A top falou com exclusividade ao "Elas no Tapete Vermelho", sobre as mudanças. "Acho que há algo muito poderoso em uma empresa de lingerie que vai além da construção tradicional de fazer um produto e, em vez disso, se torna uma força catalisadora de mudanças positivas da qual todas as mulheres podem se beneficiar", afirmou Valentina, ao completar: "Ao reconhecer e abraçar sua própria necessidade de mudança positiva, a VS se transformou em mais do que apenas uma marca. Tornou-se uma plataforma global de evolução", afirmou.

Valentina Sampaio na primeira campanha para a VS (Fotos: Zoey Grossman para Victoria’s Secret)
Valentina Sampaio na primeira campanha para a VS (Fotos: Zoey Grossman para Victoria’s Secret)
Foto: Elas no Tapete Vermelho

Segundo ela, ser a primeira mulher trans a fazer parte do casting da marca de lingerie, foi um "momento surreal". "Anos atrás, as pessoas me disseram que seria impossível para mim algum dia trabalhar com a Victoria's Secret", contou, provando que a persistência e o profissionalismo venceu as barreiras impostas até mesmo dentro da empresa.

O anúncio da top para a marca, em 2019, coincidiu com a saída de Ed Rezek, ex-diretor de marketing, que havia declarado em 2018 que modelos trans e plus size nunca fariam parte do casting da grife de lingerie. Na época, ela disse ao "Elas no Tapete Vermelho", que era um sonho que estava se realizando.

Sobre participar do VS Collective, diz: "Ser escolhida como parceira da VS como mulher trans por quem eu sou como pessoa -  é uma grande vitória para todas as pessoas trans. Uma oportunidade e responsabilidade que abraço de braços abertos."

Elas no Tapete Vermelho
Publicidade
Publicidade