PUBLICIDADE

SPFW: Grife mistura plissado, leveza e luvas em looks etéreos

19 nov 2021 20h30
ver comentários
Publicidade

Uma das tendências propostas pelos estilistas da São Paulo Fashion Week é leveza em looks confortáveis. Isso, porém, não significa apenas peças esportivas e despojadas. A Neriage, que tem como diretora criativa Rafaella Caniello provou isso com uma coleção que mistura pesos, que traz plissados, com uma pitada de poesia e arte.

Coleção da Neriage mistura pesos, que traz plissados, com uma pitada de poesia e arte
Coleção da Neriage mistura pesos, que traz plissados, com uma pitada de poesia e arte
Foto: Rosângela Espinossi / Elas no Tapete Vermelho

Cores contrastantes, como cinza e amarelo ou vermelho e bege se misturavam a areia, off-white e rosé em looks monocromáticos. Os plissados, ponto forte da marca, não faltaram, ao lado de materiais pesados, como tricôs ou lã lisa.

Os plissados, forte da marca, não faltaram, ao lado de materiais pesados, como tricôs ou lã lisa (Fotos: Rosângela Espinossi)
Os plissados, forte da marca, não faltaram, ao lado de materiais pesados, como tricôs ou lã lisa (Fotos: Rosângela Espinossi)
Foto: Elas no Tapete Vermelho

Tudo feito com corte perfeito de alta alfaiataria. Assimetria em sobreposições, moletom com tule e peças estampadas, com desenhos de Martha Barros, filha do poeta brasileiro Manoel de Barros (1916-2014), também pontuaram o desfile. Destaque para um acessório que promete ser tendência na próxima estação: as luvas.

Mistura de cores, de alturas e peso faz parte do questionamento da marca sobre  coisas nem sempre precisam ser exatamente do jeito que a gente pensa que são (Fotos: Rosângela Espinossi)
Mistura de cores, de alturas e peso faz parte do questionamento da marca sobre coisas nem sempre precisam ser exatamente do jeito que a gente pensa que são (Fotos: Rosângela Espinossi)
Foto: Elas no Tapete Vermelho

Essa mistura de cores, de alturas e peso faz parte do questionamento da marca sobre  coisas nem sempre precisam ser exatamente do jeito que a gente pensa que são. No material de divulgação, uma frase de Manoel de Barros resume essa ideia. "As coisas não querem mais ser vistas por pessoas razoáveis. Elas desejam ser olhadas de azul. Que nem uma criança que você olha de ave". No momento em que vivemos, vestirmos de poesia é um pedido de sobrevivência.

Elas no Tapete Vermelho
Publicidade
Publicidade