PUBLICIDADE

SPFW: 1º dia tem basquete, looks festa, conforto e orixás

23 jun 2021 23h20
| atualizado às 23h59
ver comentários
Publicidade

O primeiro dia da 51ª edição do SPFW, 100% digital, aconteceu nesta quarta-feira mostrando uma moda atemporal, confortável, esportiva, com toques de requinte e a preocupação com o momento atual e o uso de materiais sustentáveis. Em resumo: uma moda com propósito.

Meninos Rei
Meninos Rei
Foto: Divulgação / Elas no Tapete Vermelho

As apresentações começaram com o curta-metragem "Terra de Gigantes", de Ronaldo Fraga, com uma coleção inspirada na região do Cariri, em Juazeiro do Norte, com peças feitas de renda, linho e cores vivas. Destaque ainda para a estreia do projeto Sankofa, iniciativa do movimento Pretos na Moda, à volta de Samuel Cirnansck ao evento, e a parceria da marca ÀLG, de Alexandre Herchcovitch, com a Warner e a Cartoon Networks, para apresentar a coleção inspirada no filme "Space Jam - Um Novo Legado".

Confira detalhes de cada desfile e o vídeo das apresentações abaixo.

Aluf

Aluf
Aluf
Foto: Divulgação/SPFW / Elas no Tapete Vermelho

A estilista Ana Luisa Fernandes, da Aluf, trouxe um vídeo compilando depoimentos a partir de respostas de seguidores do Instagram sobre a pergunta "Como olhar com olhos mais gentis e alertas para o mundo à nossa volta?". As respostas vieram no texto do filme para mostrar a coleção "A Beleza do Cotidiano". O tema foi pensado antes da pandemia, mas caiu como uma luva ao momento atual.

Ana começou a fotografar imagens do cotidiano e o ponto de partida do filme é a foto de um chiclete verde no chão, cor que deu o tom a algumas peças. Teve também tecido do sofá que forrava seu sofá como estrutura de calças, top, vestido e saia. Roupas claras, leves, confortáveis, feitas a partir de tecidos e tingimentos que não agridem a natureza, uma premissa da estilista. Macacões, vestidos, casacos, bolsas e coletes feitos com bolas de madeira, brincos com formas orgânicas pontuaram a coleção.

Confira a apresentação da Aluf.

Projeto Sankofa - Mãos de Mãe

O projeto Sankofa, criado pelo movimento Pretos da Moda, estreou no SPFW trazendo marcas de novos estilistas negros. O Ateliê Mãos de Mãe foi o primeiro a se apresentar com looks de crochê femininos, como saias, tops, e vestidos longos trabalhados com palha da costa, além de búzios, como alusão aos orixás, além de camisa branca com biquíni. O Ateliê Mãos de Mãe surgiu da necessidade de valorizar e expor como são diferenciadas, cuidadosas e exclusivas as peças feitas de crochê. A equipe é formada por Vinicius Santanna, Patrick Fortuna, Luciene Santana.

O Mãos de Mãe teve como consultor para a apresentação do vídeo e da coleção, Gustavo Silvestre, criador do projeto Ponto Firme, que trabalha com presidiários que aprendem crochê fazendo looks elegantes. E, lembrando que crochê, está na moda, com famosos como Bruna Marquezine e Anitta usando em looks pra lá de fashion.

Confira a apresentação da Mãos de Mãe

Sankofa - Meninos Rei

Meninos Rei
Meninos Rei
Foto: Divulgação/SPFW / Elas no Tapete Vermelho

Os irmãos Céu e Júnior Rocha se inspiraram no orixá Exu, para criar a coleção com raízes africanas e tecidos estampados multicoloridos vindos de Guiné-Bissau. O objetivo da marca é reverenciar a estética negra exatamente por meio de cores fortes e estampas. E conseguiram isso com ternos, camisas, macacões curtos e compridos, tops cropped de mangas bufantes e calças, mostrados por modelos masculinos. A coleção teve a curadoria de João Pimenta. Linda e atual.

Anacê

A dupla Ana Clara Watanabe e Cecília Gromann, da marca Anacê, mostrou a alfaiataria revistada, larga, sem gênero, com desejo de usar neste tempo pandêmico, em macacões, vestidos, túnicas, capas, bermudas e camisas para todos os estilos. Destaque para looks mais justos usados com outras peças largas e bodies ajustados, mas com o fecho de baixo abertos sobrepondo-se a calças etc. As roupas são feitas com materiais orgânicos, como o algodão sustentável, e materiais tecnológicos, com tratamento antiviral. O filme mostrou também uma estufa com ervas como arruda e hortelã, para momentos de relaxamento e introspeção. Aliás, o nome Ruta vem exatamente de um banho de arruda para trazer boas energias.

Confira a apresentação da Anacê aqui

Samuel Cirnansck

Samuel Cirnansck
Samuel Cirnansck
Foto: Ricky Arruda e Anna Quast / Elas no Tapete Vermelho

O estilista Samuel Cirnansck trabalhou com o que sabe fazer de melhor: a base do corselet para vestidos de festa e noiva, com acabamento de pedrarias bordadas nas barbatanas das peças que modelam e valorizam o dorso das modelos. O estilista, que retornou ao evento, pela primeira apresentando um fashion filme, mostrou looks com vidrilhos e seda ou tafetá em dourados, rosa e branco,  ora em modelos mais justos ora mais exuberantes.

Sem a necessidade de fazer muitos modelos para uma desfile ao vivo, Samuel trouxe em poucas peças o que sabe fazer melhor, incluindo o vestido de noiva com corselet por baixo de blusa bordada transparente de gola alta e manga comprida, barra peplum e saia ampla. O look inicial, com corselet bordado apenas na estrutura e saia branca e esvoaçante é um delírio de delicadeza, apresentado por uma modelo que flutuava no ar segurando em duas cordas. O filme foi gravado no Teatro Faap e simulava o backstage que precede um desfile ao vivo.

Confira a apresentação de Samuel Cirnansck aqui

ÀLG

ÀLG
ÀLG
Foto: Reprodução / Elas no Tapete Vermelho

A ÀLG, marca esportiva da À La Garçonne, desenhada por Alexandre Herchcovitch, trouxe o universo do basquete ao SPFW com inspiração no desenho-filme filme "Space Jam - Um Novo Legado". da Warner e a Cartoon Networks, que teve direito até ao personagem Pernalonga na arquibancada da quadra vazia, onde foi filmada a apresentação. Os modelos, incluindo o top trans Sam Porto, entravam como se estivessem se apresentado para um jogo.

Não poderia dar outra coisa, senão looks confortáveis feitos basicamente em algodão em náilon, matérias-primas sempre presente na marca. Jaquetas bombers, camisas, camisetas, calças largas, jardineira jeans amplas, bermudas com jaquetas, legging com detalhes geométricos e camuflados, que deve virar tendência, junto com peças mais largas. A marca faz sempre peças a partir da modelagem quadrada das t-shirts, o que garante conforto sempre

O suporte para bolas de basquete poderiam ser confundidos com bolsas, mas não eram, uma pena. Claro que não faltaram mochilas, bolsas pequenas, sacolas, além de tênis em animal print, chinelos estilosos e outros calçados esportivos para todos, todas e todxs. Deu vontade de ver um Michael Jordan, que trabalhou no primeiro filme-desenho animado, do filme, de 1996, ou um LeBron James, no filme número 2, deste ano, no meio da quadra.

Confira a coleção da ÀLG aqui

Lilly Sarti

Lilly Sarti
Lilly Sarti
Foto: Reprodução / Elas no Tapete Vermelho

A estilista Lilly Sarti, ao lado da irmã Renata Sarti, dividiu o filme fashion da marca, que leva seu nome, em três momentos, todos com inspiração no esoterismo: Percepção do Eu, Reflexão do Ser e Dimensão do Sagrado. As três partes vieram com a alfaiataria modernizada, em calças mais largas ou com dorso mais ajustado, patchwork de jeans, além babados, túnicas, shorts, bermudas, jaquetas e, como não poderia faltar, peças derivadas da camisa branca, ora mais curtas, ora mais compridas.

Calças confortáveis, de cintura altas, vestidos mais largos, como é tendência atual, saias longas ou mais curtas. Nas cores, além do branco, amarelo calêndula, vermelho dália, verde salvia fazem parte da cartela de cores. Não faltaram também tricô com acabamento de crochê e fios reciclados a partir de garrafas PET ao lado de tricolines que garantem o conforto e a delicadeza da coleção.

Confira o desfile da Lilly Sarti aqui

Elas no Tapete Vermelho
Publicidade
Publicidade