PUBLICIDADE

Refugiados, cantora lírica e esportes dão o tom ao SPFW

Desfiles da 41ª edição do evento de moda trouxe ainda tops, como a namorada de Ronaldo

26 abr 2016 10h03
ver comentários
Publicidade

Com orquestra ao vivo, transexual, namorada do jogador Ronaldo e refugiados na passarela, a 41ª edição do São Paulo Fashion Week apostou em seu primeiro dia principalmente na roupa com um quê esportivo e muito conforto. Se todas as peças estarão à venda logo depois dos desfiles, ainda não é certeza, principalmente porque a elaboração de muitas delas demanda mais tempo do que se pode pensar. Talvez nas próximas temporadas, isso realmente seja fato.

Com a presença de famosas como Wanessa, Monica Iozzi, Adriane Galisteu, Fafá de Belém, Sophia Abrahão, entre outras, dentro e fora das salas de desfiles, o que se viu neste primeiro dia na Bienal do Ibirapuera foi uma moda absolutamente feminina, para uma mulher que gosta de ser sensual sem ser muito explicita, mesmo com algumas transparências, típicas de desfiles.

Os cinco desfiles do dia apontaram também algumas peças que prometem ganhar as prateleiras por muito tempo. Uma delas é o macacão, que surgiu nas mais variadas versões: justos, largos, lisos, com amarrações, estampas e bordados. É só escolher o seu favorito e terá a peça-chave da estação, desta mais fria ou do verão, para a qual a grife está mostrando as coleções.

Transparência

Lilly Sarti trouxe um sertão sensual para a passarela
Lilly Sarti trouxe um sertão sensual para a passarela
Foto: Francisco Cepeda / Agnews

O recurso, e também decotes apareceram já na primeira apresentação, da Lilly Sarti, que trouxe como tema Sertão Líquido. A fluidez das peças marcou a coleção, que misturou túnicas longas transparentes com calças flare ou saias. As sobreposição e assimetria são presença certa para o verão da marca. Cecilia Locks, a namorada de Ronaldo entrou com um look branco, com recortes discretos e um ombro só, tendência que tem vindo para ficar. As cores terrosas dão o tom da coleção, que ganha a companhia de brancos, naturais, azuis, verdes, laranja, amarelo, entre outras. Franjas e a modelagem garantem referências dos anos 70.

Conforto

Uma por Raquel Davidowicz manteve a aposta no conforto, como no look de Vivi Orth, primeira da fila
Uma por Raquel Davidowicz manteve a aposta no conforto, como no look de Vivi Orth, primeira da fila
Foto: Francisco Cepeda / AgNews

A Uma por Raquel Davidowicz fez o que sempre fez: uma moda confortável e atemporal. E isso foi de propósito, para garantir o DNA da marca que tem 20 anos e sempre prezou por uma moda prática e urbana. A alfaiataria esportiva vem com tecidos fluidos e sofisticados, em pantcourts, macacões, joggings, jaquetas, calças com bolsos grandes e utilitários, longos retos com top, como o usado por Isabel Hickmann e muitas amarrações e sobreposições nada pesadas ou incômodas. É para levar a vida sem estresse e ponto, incluindo a prática esportiva, daí as referências ao tema. 

Música

Com a apresentação da cantora lírica Julianne Daud acompanhada de músicos e maestro, a grife capixaba Amabilis fez sua estreia no SPFW após participar do projeto Top 5, do Sebrae e Instituro Nacional de Moda e Design, em que cinco marcas receberam consultora em diversas áreas de seus negócios durante nove meses. E foi uma estreia de peso. Celina Locks também desfilou, desta vez com um vestido curto de tramas, deixando parte do corpo à mostra, além de Carol Ribeiro, Diane Conterato, Vivi Orth e outras tops. Uma sensualidade elegante, tendo ao fundo imagens do mar.

Celina Locks (esq.), namorada de Ronaldo Fenômeno, desfila para a Amabilis, que teve música lírica ao vivo
Celina Locks (esq.), namorada de Ronaldo Fenômeno, desfila para a Amabilis, que teve música lírica ao vivo
Foto: Francisco Cepeda / AgNews

O começo do desfile veio com uma profusão de looks prata, acompanhados de peças verde-neon de náilon tecnológico e biodegradável, o Amni Soul Eco. Mais uma vez, a modelagem esportiva, em jaquetas e calças, deram as caras. Com inspiração no mar, a coleção da grife capitaneada por Luiz Carlos Guidoni e Robson Santos trouxe ainda muitos bordados de cordas e redes tecidas manualmente, que lembram elementos de barco e de pescadores. Tudo com sofisticação e primor no acabamento. Com uma loja própria, quatro franquias e presentes em 50 multimarcas, a Amabilis merece ser mais conhecida além das fronteiras do Espírito Santo.

Magia

O Apartamento 03, do mineiro Luiz Claudio, inspirou-se no mestre do ilusionismo Houdini para sua coleção de verão. O macacão preto com bordados de canutilho abriu a apresentação, seguida por conjuntos pretos, camisas com detalhes brilhantes, jaquetas esportivas, pantalonas, vestidos longos totalmente enfeitados com minipérolas. A maioria das peças em modelagem amplas, tendências nas passarelas internacionais, surgem também acompanhadas de looks que lembram pijamas, com direito a bolsinho e tudo.

Macacão com bordados brilhantes tem leve ar de pijama no desfile da Apartamento 03
Macacão com bordados brilhantes tem leve ar de pijama no desfile da Apartamento 03
Foto: Francisco Cepeda / AgNews

Luiz Cláudio é bom. A qualidade de seus bordados e, pedrarias é inegável. A coleção mostrou que continua inquieto, mas a vontade de parecer moderno pode ter atrapalhado um pouco alguns looks, como no conjunto azul com paletó no qual a alfaiataria deixou a desejar. O esportivo, com jaquetas e joggings, ganha a sofisticação dos bordados, como no último look todo preto, com cristais aplicados.

Ronaldo Fraga homenageia refugiados sírios, mostrando que moda e política se misturam
Ronaldo Fraga homenageia refugiados sírios, mostrando que moda e política se misturam
Foto: Francisco Cepeda / AgNews

Política

Rodrigo Fraga não faz moda por fazer. Sua atitude é sempre política. Dessa vez, levou refugiados africanos e da Síria para desfilar, ao lado da modelo transexual Camila Ribeiro, que desfilou com uma blusa que tinha aplicações de rosas azuis e saia listrada. O desfile começou com modelos encapuzados com toucas de crochê e roupas claras com marcas de sangue, ficaram sentados em roda no centro da passarela. Depois um dos refugiados entrou para começar o desfile. Na sequência, uma sucessão de looks inspirados em Angola e Moçambique.

Na cabeça, penteados com tranças volumosas. Bordados, sedas do Vale da Seda do Paraná, linho amassado, aplicações de barquinhos, referência ao meio de transporte dos refugiados, listras, flores, correntes e estampas africanas. O Ronaldo sendo Ronaldo. E mais uma vez emocionando a plateia.

 

Fonte: Ponto a Ponto Ideias
Publicidade
Publicidade