PUBLICIDADE

SPFW: trabalho escravo no mundo da moda divide opiniões

Publicidade
<p>Adilson Delawega, cabeleireiro, disse que é totalmente contra o trabalho escravo em confecção e que deixaria de comprar na marca se descobrisse qualquer irregularidade. "Uma roupa não define quem você é. Se soubesse que as marcas que eu uso utilizam trabalho escravo, eu mesmo faria as minhas roupas", disse</p>
Adilson Delawega, cabeleireiro, disse que é totalmente contra o trabalho escravo em confecção e que deixaria de comprar na marca se descobrisse qualquer irregularidade. "Uma roupa não define quem você é. Se soubesse que as marcas que eu uso utilizam trabalho escravo, eu mesmo faria as minhas roupas", disse
Foto: Amauri Nehn / AgNews
Publicidade