PUBLICIDADE

“São ignorantes ou más”, diz modelo trans sobre preconceito

Camila Ribeiro foi escalada para três desfiles na 41ª edição do São Paulo Fashion Week

25 abr 2016 20h17
| atualizado às 20h27
ver comentários
Publicidade

A modelo transexual Camila Ribeiro, 24 anos, natural de Manaus, Amazonas, estreia no SPFW com presença confirmada em três desfiles: Ronaldo Fraga, À La Garçonne e Triya. Com trabalhos em Paris, Nova York e Milão, incluindo para a grife Givenchy, afirmou que já passou por dificuldades devido ao preconceito. “As pessoas são realmente ignorantes ou, às vezes, más. Somos o País que mais mata pessoas transexuais e ninguém se importa com isso. As pessoas querem saber se operou. Ninguém está preocupado sobre direitos humanos, nada disso”, desabafou.

Camila evita falar sobre intimidade a respeito da transexualidade: "isso é sensacionalismo"
Camila evita falar sobre intimidade a respeito da transexualidade: "isso é sensacionalismo"
Foto: Patricia Zwipp / Ponto a Ponto Ideias

Camila disse que já teve que “engolir muito sapo” no trabalho por conta do preconceito. “Mas as coisas vão acontecendo a partir do momento que o potencial ultrapassa o que você é.”

Camila ribeiro já realizou trabalhos em Nova York, Milão e Paris
Camila ribeiro já realizou trabalhos em Nova York, Milão e Paris
Foto: Jr Franch / Divulgação

Se teve curiosidade em relação à intimidade da modelo, saiba que falar sobre esse assunto está fora de questão. “Um dos itens que me irritam em entrevista é as pessoas quererem saber se fiz cirurgia. Isso não vai mudar a vida de ninguém, não vai matar fome na África. É importante para mim e não é importante para ninguém. É puro sensacionalismo”, criticou. “Somos pessoas como qualquer outra. O fato de estar aqui não é nada de muito extraordinário, porque tenho duas pernas e dois braços e tenho a questão estética que está OK para o trabalho.”

 

Fonte: Ponto a Ponto Ideias Ponto a Ponto Ideias
Publicidade
Publicidade