1 evento ao vivo

Oficina gratuita ensina a produzir bioplástico e discute o futuro da moda sustentável

Parte da programação do Festival Red Bull Basement, workshop será apresentado pela artista e bioquímica Angela Barbour

6 set 2018
14h38
  • separator
  • comentários

O festival Red Bull Basement chega neste mês a sua quarta edição com uma programação inteiramente gratuita de palestras, oficinas e rodas de conversas com foco em tecnologia e no desenvolvimento de iniciativas que gerem mudanças positivas na sociedade. A moda sustentável é um dos temas de discussão propostos pelo evento, que acontece no dia 15 de setembro no Red Bull Station, centro de São Paulo. Quem trata do assunto é a artista visual e bioquímica Angela Barbour, nome por trás da oficina Bioplástico e o futuro dos materiais, em que os participantes poderão produzir seu próprio bioplástico, além de aprender sobre o reaproveitamento de materiais e processos de produção com menor impacto ambiental.

Festival Red Bull Basement acontece em 15 de setembro no centro de São Paulo
Festival Red Bull Basement acontece em 15 de setembro no centro de São Paulo
Foto: Felipe Gabriel/Divulgação / Estadão Conteúdo

"É essencial discutir sobre o uso de materiais mais sustentáveis, muitos já usados no passado e que foram substituídos por opções sintéticas", explica Angela. Com quatro horas de duração, o curso conta com apenas 12 vagas - as inscrições poderão ser feitas no dia e local do festival. Para a artista, as novas técnicas de tingimento e o reaproveitamento de tecidos, recursos que começam a ser cada vez mais explorados por marcas e indústrias nacionais, ainda precisam ser desenvolvidas com maior profundidade para que sejam permanentes. "O tingimento de tecidos por meio de bactérias, por exemplo, tem que ser feito com todo o cuidado dentro de laboratório. É um processo delicado", explica ela, em referência ao uso de bactérias para a produção de pigmentos coloridos, substituindo os corantes tradicionais e reduzindo o desperdício de água.

Angela Barbour é artista visual e bioquímica
Angela Barbour é artista visual e bioquímica
Foto: Edson Lopes Jr./Divulgação / Estadão Conteúdo

"Não dá mais para pensar na reciclagem como algo que gere mais lixo, como transformar os resíduos em garrafa PET, em sacos. Tem que transformar o processo em mais-valia, produzindo algo que não vá para o lixo", define Angela Barbour. "Quem tem feito isso é Juan Muzzi, artista uruguaio que reside em São Paulo, criador de um projeto que transforma garrafa PET em bicicletas. É incrível, porque você ainda ajuda cooperativas e estimula um comportamento melhor, que é se locomover de bicicleta. Isso vale para a moda também. O cenário só muda quando os grandes [produtores e indústrias] começam a se preocupar".

Além do bioplástico, produzido com agar-agar, a bioquímica cita os materiais feito à base de levedura, de dejetos de fibras da agricultura e pele de peixe como alternativas viáveis à matéria-prima sintética.

Formada em Farmácia-Bioquímica e Artes Visuais, Angela decidiu transportar seu conhecimento científico para o universo criativo dedicando-se a pesquisas na área de inovação. Ela foi a única brasileira a participar da primeira turma do Fabricademy Textile, curso ligado ao Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT) e sediado em Barcelona para explorar a produção de tecidos sustentáveis por meio da eletrônica e da biologia. Agora, ela está apta a repassar tudo o que aprendeu por lá para novos alunos.

Durante a oficina, os participantes aprenderão a como produzir bioplástico
Durante a oficina, os participantes aprenderão a como produzir bioplástico
Foto: Angela Barbour/Divulgação / Estadão Conteúdo

"O curso, que começa no dia 25 de setembro, vai ter base no meu ateliê [o Ellora, que fica entre os bairros Cambuci e Aclimação], mas as aulas são online, com participantes do mundo todo. Quem estiver em São Paulo, poderá visitar ateliês e laboratórios que também trabalhem com o tema", conta. Corte sem costura a laser, retomada do processo criativo manual e introdução a softwares high tech estão entre os módulos do curso. "A ideia é misturar o artesanal à alta tecnologia, ao mesmo tempo em que crio uma rede de relações com as pessoas", completa Angela.

No calendário do Red Bull Basement, há espaço ainda para um workshop de confecção de drones; uma oficina de tecnologia assistiva, que busca a construção de soluções para pessoas com deficiência; e um curso de realidade aumentada.

Serviço

Festival Red Bull Basement

15 de setembro, das 11h às 20h

Red Bull Station

Praça da Bandeira, 137

Tel.: 3107-5065

Inscrição: na entrada

Vagas mediante disponibilidade.

Estadão Conteúdo

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade