0

Naomi Campbell pede que revista Vogue lance edição africana

2 abr 2018
12h44
atualizado às 13h31
  • separator
  • comentários

A modelo Naomi Campbell disse no domingo (1) que a revista 'Vogue' deveria lançar uma edição africana para reconhecer a contribuição do continente a uma indústria de moda global que tem sido criticada por sua falta de diversidade.

Modelo Naomi Campbell posa para foto em evento na Califórnia 04/03/2018  REUTERS/Danny Moloshok
Modelo Naomi Campbell posa para foto em evento na Califórnia 04/03/2018 REUTERS/Danny Moloshok
Foto: Reuters

Naomi, que estava visitando Lagos, capital comercial da Nigéria, para participar da Semana de Moda Arise, disse que há a necessidade de uma melhor representação da África.

"Deveria haver uma Vogue África", disse à Reuters em entrevista. "Acabamos de ver a Vogue Arábia - é a próxima etapa. Tem que ser", disse em referência à edição da revista que foi lançada no ano passado voltada ao público do Oriente Médio.

"A África nunca teve a oportunidade de se mostrar e de seus tecidos, seus materiais e seus desenhos serem aceitos na plataforma global... não deveria ser assim", disse a modelo britânica.

Não foi possível fazer contato de imediato com a Condé Nast International, que publica a Vogue, para obter comentários.

A indústria global da moda tem sido criticada nos últimos anos porque a maioria das modelos de grandes estilistas e grifes são brancas.

"As pessoas se deram conta de que não é a cor de sua pele que define se você pode exercer um trabalho ou não", afirmou a modelo, acrescentando que viu sinais de que a indústria está se tornando mais diversa, como a nomeação de Edward Enninful como editor-chefe da Vogue britânica em abril do ano passado.

Nascido em Gana, Enninful é o primeiro editor negro nos 100 anos de história da publicação e o primeiro homem a assumir o cargo.

Veja também

 

Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade