0

Estilista homenageia Pussy Riot em desfile de semana londrina

Durante Fashion Scout, Pam Hogg fez desfile em homenagem a grupo musical feminista russo Pussy Riot

15 fev 2014
09h28
atualizado às 11h12
  • separator
  • 0
  • comentários

Conhecida  por vestir celebridades como Lady Gaga, Rihanna, Lily Allen e Kate Moss, a estilista escocesa Pam Hogg mostrou apoio à causa do grupo de punk rock feminista Pussy Riot no primeiro dia da semana de moda de Londres, realizado na última sexta-feira (14).

Uma das participantes do Fashion Scout, evento paralelo à programação oficial da London Fashion Week, Hogg levou para a passarela uma coleção colorida e provocativa com o intuido de chamar a atenção à “revogação inaceitável dos direitos gays na Rússia”, sendo ovacionada pelo numeroso público presente na plateia.

“Pensei que se fizesse um evento, posso juntar pessoas com vozes maiores do que a minha. Minha pequena voz formará uma voz mais alta e faremos algo para acabar com as injustiças no mundo”, disse Pam Hogg ao Terra nos bastidores da apresentação.

Placas com os dizeres “Isso é uma dedicação para o Pussy Riot” e “Esta coleção não é para venda” foram levadas pelos modelos à passarela, dando um ar de protesto ao desfile.

“Não ia fazer desfile esta temporada, mas recebi um email da Anistia Internacional perguntando se poderia fazer uma menção ao Pussy Riot. Fiquei devastada porque era a primeira vez que realmente não faria um desfile. Em toda coleção que crio faço um discurso político",  disse ela.

Atendendo ao pedido da ONG que defende os direitos humanos, a fashionista desenvolveu uma coleção às pressas, improvisando com peças de temporadas anteriores. “Decidi que tinha que fazer, não importava o quanto teria que preparar. Tive três semanas. Não tinha estudantes porque não estava pronta para fazer uma coleção. Não tinha assistente, então praticamente tive que fazer tudo sozinha. Visualizei dez novos outfits coloridos, porque Pussy Riot é sobre cores. Essa foi minha ligação com elas. Também tinha algumas peças que sobraram de dois anos atrás e reaproveitei. A primeira parte da coleção foi sobre o grupo, a segunda foram peças que tinham sido feitas, mas nunca terminadas para ir à passarela”, acrescentou a estilista, que vestia ela própria um modelito com a palavra “Coragem” e a frase “Pussy Riot rule” (“Pussy Riot manda”, em tradução literal) estampada nas costas.

“Pussy Riot deve servir de exemplo hoje. Coragem”, bradou a estilista, ironizando: “Isso aqui não é moda. É um motim”.

Fonte: Especial para Terra
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade