0

Minha Vida

Dinheiro traz felicidade, sim! É só gastar direito

iStock

Ter hábitos financeiros adequados à personalidade traz satisfação, diz pesquisa

8 mar 2018
12h48
atualizado às 15h27
  • separator
  • comentários

Brincar com os filhos, passar uma tarde com a família, assistir a seu seriado favorito? Há muitos momentos felizes que não precisam de nada além de pessoas queridas e um tempo livre. Mas a ciência já dá indícios de que o dinheiro pode, sim, estar relacionado à satisfação pessoal. Uma pesquisa descobriu que pessoas mais plenas escolhem gastar seu dinheiro de acordo com seu perfil.

Não existe certo e errado. O estudo da Universidade de Cambridge percebeu que a chave é investir seu dinheiro em atividades e produtos que tenham a ver com sua personalidade.

Os pesquisadores aplicaram um teste de personalidade em mil pessoas e então dividiram quais tipos de gastos eram mais comuns para cada tipo.

Ao cruzar as informações da personalidade com os hábitos financeiros reais dessas pessoas, perceberam que, em geral, quem escolhia atividades mais próximas a sua personalidade afirmou ter maior satisfação pessoal.

Veja o que a pesquisa recomenda ao seu perfil:

Se você é extrovertido:

Gaste: Entretenimento, Viagens, Música, Esportes motorizados, Sair com amigos e Esportes
Evite: Seguros residenciais, Taxas de contadores e Hipotecas

Se você é mente aberta:

Gaste: Entretenimento, Viagens, Arte, Música, Cinema e Fotografia
Evite: Multas de trânsito, Hipotecas e Seguros residenciais

Se você é consciente:

Gaste: Saúde e fitness, Seguro de vida, Seguro residencial e Taxa de contador
Evite: Jogos de apostas, Brinquedos e hobbies

Se você é amável:

Gaste: Caridade, Flores, Cafés e Animais
Evite: Multas de trânsito e Jogos de apostas

Se você é neurótico:

Para essas pessoas, a pesquisa sugere gastar com jogos de apostas e multas de trânsito, mas estes hábitos podem não ser saudáveis.
Evitar: Lojas de presente, Papelaria, Seguros residenciais, Livros e Caridade

As informações são do site britânico Mirror.

Veja também

'Sofri preconceito, mas estou atingindo meu ideal': os obstáculos e vitórias de ambulante com paralisia cerebral

 

Minha Vida

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade