0

Saturno deixa Capricórnio por três meses a partir de março

6 mar 2020
09h00
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

Plutão, o planeta mais poderoso do zodíaco e que está diretamente relacionado com aquilo que chamamos de destino, entrou em Capricórnio em Outubro de 2008. Vamos entender destino, àquilo que devemos passar nesta vida, para darmos um passo à frente em nosso processo evolutivo, ou seja, Plutão tem a ver com os processos de alma. Plutão é profundo, misterioso, é Hades na mitologia e Senhor dos infernos, do que há de mais profundo em nós.

Astrologia: Saturno deixa Capricórnio por três meses a partir de março
Astrologia: Saturno deixa Capricórnio por três meses a partir de março
Foto: iStock

Plutão quer dizer "o dispensador de riquezas" e, mesmo em meio à alguma dor profunda que podemos estar passando com seus trânsitos, devemos ter isso em mente: Plutão nos presenteará com uma vida transformada em pura Luz, depois de passar pelas provações necessárias.

Através de Plutão, quando ele toca algum ponto importante em nosso mapa natal,  entramos em contato com nossa impotência e nossa pequenez humana, pois o Senhor do destino é quem comanda. Plutão permanece muito tempo em um signo e os primeiros anos de sua influência são os mais difíceis. Depois, vamos nos acomodando e quando menos esperamos, as coisas começam a mudar de rumo e as recompensas começam a nos ser enviadas.

Saturno, apesar de também ser um planeta de provações, é mais rápido que Plutão; permanece em um signo por volta de três anos e nos dá, mesmo que minimamente, a possibilidade da ação. Saturno exige, limita, responsabiliza, compromete, cobra! Saturno traz dor, assim como Plutão, muitas vezes pelas perdas que sofremos, até nosso ego ajoelhar diante da vida. Saturno é pesado e, quando unido a Plutão, fica pesado e intenso.

Todos estamos nos queixando do peso e do cansaço nos últimos tempos, eu diria que nos últimos dois anos e o motivo é a união desses dois deuses de imenso poder, que caminha de mãos dadas através de Capricórnio. Saturno e Plutão em Capricórnio é bastante pesado, muito mesmo e todos nós sentimos a potência dessa união nesse signo. No entanto, as pessoas de Capricórnio, Câncer, Áries e Libra, ou que têm planetas importantes nesses signos, têm sentido muito mais e há muitos anos.

No dia 20 de Março, no mesmo dia que começa o novo ano astral, Saturno deixa Capricórnio, deixa a companhia de Plutão e começa a caminhar através de Aquário. Até o dia 01 de Julho, ou seja, por três meses, sentiremos uma espécie de alívio do cansaço, do peso que temos carregado por alguns anos e, especialmente as pessoas dos quatro signos citados acima, sentirão com mais intensidade esse alívio de peso.

Aquarianos e aquarianas, leoninos e leoninas, taurinos e taurinas e escorpianos e escorpianas, ou as pessoas que possuem planetas importantes nos primeiros graus desses quatro signos, sentirão uma espécie de chamado à responsabilidade, como se fossem avisados que uma nova fase de vida começa. Por três meses, vocês poderão ter uma boa noção de como serão os anos de 2021, 2022 e 2023, quando Saturno entrar definitivamente em Aquário em 19 de Dezembro deste ano.

Plutão e Júpiter estarão sozinhos em Capricórnio, sem as limitações impostas por Saturno e, quando Plutão e Júpiter se unem em um signo como Capricórnio, podemos esperar pelas recompensas merecidas a todos os que trabalharam duramente nos últimos anos. Possivelmente essas recompensas estão relacionadas com a vida material e financeira, pois estamos falando de Capricórnio, mas, para saber mais especificamente, procure em seu mapa natal qual o setor está Capricórnio e você saberá qual área de sua vida será beneficiada. E também a que abriga Aquário, setor que será mais pressionado pela presença de Saturno nesse signo nos próximos três meses.

Nesse curto tempo, poderemos experimentar a vida sem a pressão de Saturno e Plutão unidos e poderemos sentir também, como serão os próximos anos sem a presença de Saturno em Capricórnio, mas com ele atravessando Aquário.

É um período para observarmos e, mais do que isso, nos apercebermos e experimentarmos as energias que nos afetarão nos anos vindouros.

Veja também:

Coronavírus: o que é uma pandemia e por que o atual surto ainda não é uma

 

Fonte: Eunice Ferrari
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade