4 eventos ao vivo

Queda na qualidade do esperma pode ser causada por fumo na gravidez

8 jul 2013
13h14
atualizado às 13h14
  • separator
  • comentários

Os filhos de mulheres que fumaram durante a gravidez possuem maior risco de terem baixa produção de espermatozoides, afirma novo estudo. Os pesquisadores descobriram ainda que o uso de drogas durante a gestação também afeta a fertilidade do bebê. Segundo o jornal Daily Mail, estudos dos últimos 20 anos têm apontado uma queda da qualidade do sêmen e uma queda geral do índice de esperma.

<p>Fumo durante a gravidez é um fator de risco para a baixa produção de espermatozoide</p>
Fumo durante a gravidez é um fator de risco para a baixa produção de espermatozoide
Foto: Getty Images

Esse tipo de problema estaria relacionado a diversos fatores, como a exposição de homens a toxinas e o hábito do fumo. Porém, o que esse novo estudo, divulgado na reunião anual da Sociedade Europeia de Reprodução Humana e Embriologia, aponta é que a queda do número de espermas pode estar ligada também a fatores anteriores ao nascimento e aos primeiros anos de vida.

A pesquisa descobriu que o crescimento fetal lento, o fumo durante a gestação e o lento crescimento infantil estão associados com um declínio subsequente na produção de espermatozoides. O estudo foi baseado em relatórios do Western Australian Preganancy Cohort, iniciado em 1989, que acompanhou cerca de 3 mil mulheres grávidas. Os filhos das voluntárias também foram acompanhados após o nascimento.

Na faixa etária de 20 a 22 anos, os filhos passaram por uma avaliação testicular, que incluiu a medição do volume do testículo, análise da qualidade do sêmen e da produção hormonal. Os resultados mostraram que um a cada seis possuía parâmetros de esperma abaixo do considerado normal pela Organização Mundial da Saúde (OMS), enquanto mais de um quarto possuía espermatozoides com aparência fora do considerado aceitável pela OMS.

Quando os resultados foram comparados com as avaliações de crescimento fetal os pesquisadores observaram uma associação entre o baixo crescimento e a baixa contagem de espermatozoides. Segundo Roger Hart, professor de medicina reprodutiva na Universidade da Austrália Ocidental, o fraco crescimento fetal, a exposição ao tabagismo materno e o baixo padrão de crescimento infantil se somam ao aumento de gordura durante a adolescência, tabagismo e uso de drogas na idade adulta como fatores de risco para uma produção reduzida de espermatozoides. 

Fonte: Terra

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade