0

Poluição pode ser nociva para a fertilidade masculina

22 ago 2012
09h07
  • separator

Todo mundo já ouviu falar que poluição faz mal. O que nem todo mundo sabe é que os efeitos nocivos podem afetar até a fertilidade do homem. De acordo com Sandro Esteves, urologista e diretor da Androfert, clínica especializada em reprodução humana, de Campinas (SP), os poluentes que estão presentes no oxigênio, na água e em alguns alimentos acabam aumentando a quantidade de radicais livres no organismo. Essas substâncias diminuem a qualidade e quantidade dos espermatozoides.

Todo mundo já ouviu falar que poluição faz mal. O que nem todo mundo sabe é que os efeitos nocivos podem afetar até a fertilidade do homem
Todo mundo já ouviu falar que poluição faz mal. O que nem todo mundo sabe é que os efeitos nocivos podem afetar até a fertilidade do homem
Foto: Shutterstock



"Uma barra de ferro, quando fica no tempo, em contato diretor com o oxigênio, enferruja. O mesmo acontece com o espermatozoide quando entra em contato com esses radicais livres", compara.



Esse fenômeno acontece quando há exposição a poluentes atmosféricos. Quando isso ocorre, o corpo passa por um processo chamado de estresse oxidativo. O organismo retém muitos radicais livres, que acabam atacando as células do corpo, inclusive o espermatozoide. Quando essas substâncias vão para os espermatozoides, elas podem diminuir a qualidade do gameta masculino - motilidade e características morfológicas - ou até destruí-los, fator que pode influenciar a fertilidade do homem.

De acordo com Silvana Chedid, pesquisadora do laboratório de poluição atmosférica da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP) e diretora do Instituto Valenciano de Infertilidade São Paulo, o número de pessoas que sofrem com problemas de fertilidade causados pela poluição atmosférica é maior nas cidades maiores, onde os habitantes ficam mais expostos aos poluentes. No entanto, a reação a essa exposição é particular a cada organismo.

"A poluição afeta todo mundo. Mas, algumas pessoas são mais suscetíveis a esses problemas ambientais do que outras. É como o câncer de pulmão e o cigarro. Sabemos que o grupo dos fumantes tem mais risco de ter a doença do que os não fumantes, mas isso não quer dizer que todos os tabagistas vão ter câncer", exemplifica.

Soluções para o estresse oxidativo
Como o prejuízo causado pela poluição é difícil de ser evitado, já que o perigo mora no ar, na água e em certos alimentos, a solução é remediar o mal causado.

A maneira mais simples de prevenir o problema, segundo o urologista, é manter uma dieta rica em antioxidantes e o uso de suplementos vitamínicos. 'Uma alimentação saudável tem antioxidantes. O ideal é procurar comer verduras verde-escuras, frutas e grãos integrais. A uva, por exemplo, é reconhecidamente um excelente antioxidante natural", afirma Sandro.

Poluição nos alimentos
Além da poluição atmosférica, o ser humano ainda tem que lidar com os poluentes químicos que são utilizados em alguns tipos de alimentos. A carne é um desses exemplos. "Tanto a carne bovina, quanto a de frango tem um alto grau de contaminação com hormônios femininos, o estrogênio. Esses hormônios são dados para os animais para que a carne fique mais macia. Esses estrogênios são passados para o homem quando ele faz a ingestão deste alimento", esclarece. "Essa é uma importante causa de alteração de espermograma."

O conselho da médica é observar a procedência dos alimentos na hora de fazer as compras. Outro exemplo é a presença de pesticidas nas frutas e verduras. Este composto químico afeta a fertilidade humana. E, especificamente no homem, causa perda de quantidade e qualidade dos espermatozoides que estão presentes no sêmen.

Busca um especialista em Fertilidade? Clique aqui e confira a lista dos profissionais



Veja também:

Beirute: A mãe em trabalho de parto durante a explosão
Fonte: Cross Content
publicidade