0

Mulheres mais novas também podem ter problema de fertilidade

5 dez 2012
16h12
  • separator

Nem sempre o relógio biológico é o principal vilão da fertilidade feminina. Embora menos frequentemente, mulheres com 30 anos ou menos também podem ter de recorrer a processos de reprodução assistida para conseguir engravidar.

Embora menos frequentemente, mulheres com 30 anos ou menos também podem ter de recorrer a processos de reprodução assistida para conseguir engravidar
Embora menos frequentemente, mulheres com 30 anos ou menos também podem ter de recorrer a processos de reprodução assistida para conseguir engravidar
Foto: Dreamstime / Terra



Antes dos 30 anos, as chances de engravidar naturalmente são de cerca de 20% por mês. Aos 40, essa taxa é abaixo dos 5%. Isso acontece porque a quantidade e a qualidade dos óvulos diminuem com o tempo.



Há outros fatores, no entanto, que dificultam as chances de gravidez até mesmo para mulheres abaixo dos 30. Caso passem mais de um ano tentando engravidar sem sucesso, elas devem procurar ajuda médica. Georges Fassolas, especialista em reprodução humana da clínica Vivitá, de São Paulo, afirma que em torno de 20% das pacientes que atende têm 30 anos ou menos.



Pelo menos metade dessas pacientes, segundo ele, tem Síndrome dos Ovários Policísticos - doença que acomete de 6% a 10% das mulheres em idade fértil. É comum que mulheres com essa síndrome não ovulem. Em muitos casos, o relacionamento programado - procedimento de baixa complexidade em que há a indução e o acompanhamento da ovulação - é suficiente para resolver a situação, caso seja a única razão para os problemas de fertilidade.



O mesmo vale para outras causas menos comuns de distúrbios ovulatórios, como hiperprolactinemia (excesso de produção do hormônio prolactina) e problemas de tireoide.



A endometriose, doença que atinge de 6 a 7 milhões de brasileiras, é também fator comum entre mulheres mais jovens. A presença das células do endométrio (parede interna do útero) em locais como ovários e trompas pode dificultar as chances de engravidar. Caso a trompa fique obstruída, por exemplo, seria necessária a realização da fertilização

in vitro

(FIV).



Esse tratamento também é o recomendado em casos de obstruções da trompa causadas por infecções pélvicas. As principais causas para isso seriam doenças sexualmente transmissíveis, como clamídia e micoplasma.



A menopausa precoce é causa menos frequente - entre 1% e 3% das mulheres a têm. A falência prematura dos ovários impede a produção de óvulos. O tratamento recomendado é, portanto, a doação desses gametas.



Hábitos como tabagismo e drogas também podem afetar a fertilidade. "O cigarro hoje é o vilão de quase tudo, inclusive da fertilidade", comenta Georges. Além das dificuldades de engravidar, o uso de drogas aumenta as chances de má-formação embrionária, gerando abortos de repetição.



A obesidade também é fator de baixa fertilidade. Ela está associada ou à síndrome dos ovários policísticos ou a outras alterações metabólicas que levam a distúrbios ovulatórios, como diabetes.



Fator masculino

Se a mulher não está conseguindo engravidar, nem sempre a causa está relacionada a dela. Estima-se que 33% dos problemas de fertilidade sejam masculinos, 33% femininos e outros 30% de ambos. Em 4% dos casos, as causas são incertas.



Se o homem tiver sêmen de baixa qualidade, é recomendado o uso da inseminação artificial ou FIV.



Somatória

Muitas das causas que acometem as mulheres mais novas são as mesmas que afetam as chances de gravidez das mais velhas.



"Só que nas mulheres mais velhas, se juntam os fatores. Não é que a endometriose é pior em uma mulher mais velha. É claro que as consequências com o tempo vão piorando. Mas se você já tem perda de função ovulatória por causa da idade e endometriose, são dois fatores", explica o médico.



Busca um especialista em Fertilidade?

Clique aqui

e confira a lista dos profissionais

Veja também:

Beirute: A mãe em trabalho de parto durante a explosão
Fonte: Cross Content
publicidade