PUBLICIDADE

Cor dos alimentos no seu prato pode beneficiar - e muito - a sua pele

30 ago 2021 18h02
| atualizado em 31/8/2021 às 11h17
ver comentários
Publicidade
Foto: Shutterstock
Foto: Shutterstock
Foto: Guia da Cozinha

Coma o arco-íris. Se essa orientação já era importante para manter a saúde do organismo, agora é cada vez mais comprovado que ela também serve para preservar a beleza da pele. "Existem teorias que relacionam a cor dos alimentos com energias específicas, capazes de estimular e equilibrar o organismo, mas essas alegações ainda se encontram no campo das suposições. Porém, fundamentalmente uma dieta variada e colorida é benéfica ao organismo, porque as cores ou pigmentos dos alimentos devem-se à presença de determinados fitonutrientes, que têm papel importante na prevenção de doenças e manutenção da saúde, inclusive da pele", explica a médica nutróloga Dra. Marcella Garcez, diretora e professora da Associação Brasileira de Nutrologia.

"Está cada vez mais claro que o que você come afeta a saúde e a idade de sua pele. A saúde geral e o bem-estar como foco para a pele podem se beneficiar de uma dieta saudável e exercícios. Estudos recentes ressaltam que condições crônicas de pele, como eczema e psoríase, podem se beneficiar de mudanças na dieta. E, mesmo se você tiver a pele relativamente limpa, uma dieta rica em gordura, alimentos processados, açúcar e álcool pode causar inflamação, inchaço e desidratação, acelerando também o envelhecimento cutâneo", acrescenta a dermatologista Dra. Patrícia Mafra, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia.

Segundo as médicas, a nutrição é uma maneira natural de melhorar sua saúde geral; as especialistas recomendam comer uma variedade de alimentos inteiros em seus estados mais naturais. "O consumo de frutas, vegetais, feijão e grãos inteiros dá ao corpo e à pele um aumento de vitaminas, minerais e antioxidantes que ajudam a manter uma saúde ótima", diz a Dra. Patrícia. Abaixo, as médicas explicam melhor como a cor dos alimentos frescos pode ajudar na saúde da pele. Confira:

Alimentos de cor vermelha

Foto: Shutterstock
Foto: Shutterstock
Foto: Guia da Cozinha

"Os alimentos vermelhos são ricos em poderosos antioxidantes como o resveratrol, o licopeno, a betaciclina e outros flavonoides com inúmeras propriedades de saúde reconhecidas como atividades anti-inflamatória e antineoplásicas", explica a Dra. Marcella. "Para a pele, esses fitoquímicos presentes em alimentos vermelhos, com alto teor de licopeno, antocianinas e ácido elágico, são também antioxidantes, o que reforça nossa defesa contra o envelhecimento cutâneo e os danos causados pelo sol e fatores ambientais", explica a Dra. Patrícia Mafra. "Os raios ultravioletas promovem a formação de radicais livres que podem danificar as células da pele. O licopeno atua como um escudo protetor para defender as células da pele desse ataque. Além do mais, a melancia é 90% aquosa, o que ajuda a manter seu corpo e sua pele hidratados", afirma a médica nutróloga. São exemplos os morangos, framboesas, mirtilos, amoras, ameixas, uvas passas, beterraba, groselha negra, melancia, acerola, cebola vermelha, rabanete, tomate, entre outros.

Alimentos de cor laranja

Foto: Shutterstock
Foto: Shutterstock
Foto: Guia da Cozinha

As opções de alimentos alaranjados são cenouras, abóboras, pimentões, pêssegos, damascos, mamão, laranja etc. "Os alimentos alaranjados contêm um carotenoide antioxidante, o betacaroteno, e quanto mais cor de laranja for um alimento, maior a concentração de betacaroteno, o que significa um maior poder antioxidante e propriedades de saúde, como fotoproteção oral, redução do risco de alguns tipos de câncer e cardiopatias", destaca a Dra. Marcella Garcez. "Muitos deles também contêm Vitamina C, um cofator para a produção de colágeno", diz a Dra. Patrícia.

Alimentos de cor amarela

Foto: Shutterstock
Foto: Shutterstock
Foto: Guia da Cozinha

Alimentos amarelos são importantes para a saúde dos olhos, mas também da pele, na medida em que combatem os efeitos nocivos do sol e de irritantes ambientais, segundo a Dra. Patrícia. "Aqueles riscos no carotenoide luteína, que está presente em vários alimentos amarelados desde gema de ovos a vegetais como os pimentões amarelos, limões sicilianos, maçãs e abacaxi, ajudam a preservar o colágeno, além de auxiliar na manutenção e renovação da pele", explica a Dra. Marcella. As curcuminas, presentes no açafrão da terra, também são pigmentos amarelos com funcionalidades antioxidantes e anti-inflamatórias. "A cúrcuma é uma especiaria que pode ajudar nas inflamações da pele, principalmente no tratamento da acne e do envelhecimento", acrescenta a Dra. Patrícia.

Alimentos de cor verde

Foto: Shutterstock
Foto: Shutterstock
Foto: Guia da Cozinha

Há uma razão pela qual os smoothies verdes são tão populares. "Um poderoso antioxidante, a clorofila torna as plantas verdes. Comer alimentos verdes promove a desintoxicação, reduz a inflamação e melhora a digestão. Alimentos como folhas verdes ajudam a melhorar a circulação e a nutrição celular, o que tem reflexos no viço e hidratação da pele", explica a Dra. Patrícia Mafra. As opções de alimentos verdes são os espinafres, os pepinos, as salsas, as limas, as abobrinhas, os aspargos, as folhas verdes, os abacates, os kiwis, as maçãs verdes, os brócolis, as ervilhas etc. "A clorofila presente nos alimentos verdes também protege a pele devido às propriedades antivirais", acrescenta a Dra. Marcella.

Alimentos de cor azul e roxo

Foto: Shutterstock
Foto: Shutterstock
Foto: Guia da Cozinha

Se você não come alimentos azuis e roxos, é hora de começar! "Eles são ricos em fitonutrientes, incluindo antocianinas, polifenois e resveratrol. O resveratrol retarda os sinais de envelhecimento, tem alto poder antioxidante e anti-inflamatório. Ele estimula a expressão de sirtuínas e protege os telômeros, que são estruturas de DNA que, a cada replicação das células, se encurtam. Cientistas atribuem a isso o envelhecimento. O resveratrol é apontado como uma substância que aumenta a telomerase, uma enzima que protege os telômeros", explica a Dra. Patrícia Mafra. "Esses alimentos são ricos em flavonoides, que combatem os radicais livres, protegem contra danos celulares e mantêm você com aparência mais jovem. Quanto às doenças crônicas da pele, esses alimentos podem reduzir a resposta inflamatória do corpo e promover a desintoxicação", explica a Dra. Marcella. Amoras, amora silvestre, uvas vermelhas (roxas), repolho vermelho (roxo), berinjela, ameixas e figos são algumas opções.

Alimentos de cor branca

Foto: Shutterstock
Foto: Shutterstock
Foto: Guia da Cozinha

Alimentos brancos às vezes têm uma má reputação por serem ricos em amido e carboidratos, mas outros alimentos brancos como cebola, alho, couve-flor, cogumelos têm uma série de benefícios à saúde. "Cebola e alho contêm compostos antioxidantes chamados polifenóis, que podem ajudar a controlar a inflamação crônica e aumentar a imunidade", diz a médica nutróloga.

Outros alimentos recomendados e quais evitar

Segundo a dermatologista Dra. Patrícia Mafra, alimentos ricos em ômega-3, zinco e vitamina E são excelentes para manter uma boa pele. "O ômega-3 ajuda a manter a pele flexível e hidratada, protegendo contra a pele seca, acne e os raios ultravioleta do sol. As gorduras ômega-3 e o zinco reduzem a inflamação enquanto promovem a renovação das células da pele e uma barreira para a pele saudável. E a vitamina E protege a pele dos danos oxidativos", explica a dermatologista. A médica nutróloga destaca que esse tipo de gordura boa pode ser encontrado em peixes como salmão e atum, nozes, azeite de oliva, abacate, sementes de girassol e de abóbora. "Beber bastante água também é importante para uma boa pele. Como maior órgão do corpo, a pele precisa de água para ajudar a transportar a umidade para a camada mais externa, fornecer nutrientes e eliminar toxinas", afirma a médica nutróloga.

Quanto às recomendações de alimentos para tomar cuidado, o ideal é limitar aqueles com alto teor de gordura saturada, açúcar, conservantes e ingredientes artificiais que você não consegue pronunciar. "Uma dieta saudável melhora a saúde geral e uma dieta pobre contribui para inflamação. As alergias e intolerâncias alimentares geralmente se manifestam como erupções cutâneas e coceira na pele", explica a Dra. Marcella.

Segundo a Dra. Patrícia Mafra, estar atento ao que você come pode ajudar a controlar a acne, o eczema e outras doenças de pele. "Estudos mostram que alimentos ricos em açúcar, gorduras trans e ingredientes artificiais podem exacerbar os sintomas para quem sofre de eczema. E sabe-se que condições crônicas como a psoríase melhoram com uma dieta anti-inflamatória", finaliza a médica nutróloga.

Colaboração: Dra. Patrícia Mafra e Dra. Marcella Garcez

Guia da Cozinha
Publicidade
Publicidade