PUBLICIDADE

Sommelier do Fasano conduz harmonização de cachaça em SP

29 nov 2012
09h28 atualizado às 09h32
0comentários
09h28 atualizado às 09h32
Publicidade

O nome do sommelier Manoel Beato, que atua no grupo Fasano há nada menos do que 20 anos, está diretamente associado ao mercado de vinho no Brasil. Mas na noite desta quarta-feira (28), ele mostrou outra faceta durante uma harmonização de cachaças realizada no Totó Bar & Ristorante, em São Paulo.  "O sommelier, por definição, é um profissional que cuida do serviço de bebidas em geral", explicou.

Salmão gravlax foi harmonizado com caipirinha de caju fresco
Salmão gravlax foi harmonizado com caipirinha de caju fresco
Foto: Bruno Santos / Terra
 
Não é à toa que o especialista começou a se interessar pela bebida que é um dos ícones da gastronomia brasileira há cerca de cinco anos, e acabou escrevendo o livro Cachaça, lançado no início deste ano. O evento, realizado em parceria com a marca After Vibe, um alimento funcional em cápsulas que atua no bom funcionamento do fígado e na desintoxicação, destacou alguns tipos da bebida, que foi utilizada para ressaltar o sabor dos pratos servidos durante o menu batizado de "Harmonias da Cana", sugerido por Beato. "A cachaça para mim tem um valor porque eu acho que é a bebida destilada mais rica em termos de variedade", observou.
 
O sommelier aproveitou para explicar o objetivo da harmonização, acrescentando que o setor de vinho foi o que mais abriu espaço para este segmento. "A harmonização é quando temos dois elementos que, quando se cruzam, criam não só um terceiro sabor, mas muitos outros", explicou, ressaltando que, nestes casos, os gostos não se sobrepõem, mas sim, se completam e criam novas sensações ao paladar. 
 
Ele explicou que, neste tipo de evento gastronômico, busca-se equilibrar os elementos que se tem no prato, com os presentes na bebida servida, e se eles têm ou não afinidade. "A harmonização pode ser por contraste, por fusão, ou pelos dois. Por fusão, é, por exemplo, uma sobremesa bem cremosa, com um vinho licoroso. Já a harmonização por contraposição é como um bolinho de peixe frito com um vinho branco ácido. Ou seja, o ácido está quebrando a gordura e a gordura está amenizando a acidez", completou.
 
 
Confira o menu servido no jantar
- Pastel de camarão com caipirinha de três limões: cravo, siciliano, e tahiti.
- Carpaccio de polvo com rúcula, molho especial e alcaparras, harmonizado com caipirinha de maçã verde com gengibre.
- Polenta defumada com espinafre e lascas de parmesão, harmonizado com duas cachaças: Mazzaropi envelhecida em carvalho e cachaça Matodentro.
- Salmão gravlax, harmonizado com caipirinha de caju fresco. 
- Bolinho de carne com mandioca e linguiça portuguesa, harmonizado com caipirinha de pitanga.
- Torrone trentino com sorvete de baunilha, com cachaça Weber Haus de madeira Umburana. 
- Café expresso com cachaças.
 

Fonte: Terra
Publicidade
Publicidade