2 eventos ao vivo

Homem passa semanas sozinho em área isolada no Alasca após incêndio

Tyson Steele perdeu seu abrigo e seu cachorro, sendo obrigado a sobreviver com comida enlatada em uma tenda improvisada

14 jan 2020
12h49
atualizado às 13h23
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

Tyson Steele viu sua cabana pegar fogo, lamentou a morte do seu cachorro e passou semanas na região selvagem do Alasca se agasalhando em um abrigo improvisado contra temperaturas abaixo de zero e comendo comida enlatada, sem conseguir alcançar o resto do mundo. A saga, que até poderia ser história de filme, terminou na quinta-feira, 9, com o homem de 30 anos sendo resgatado, aparentemente, em boa saúde, de acordo com as Tropas do Estado do Alasca. Steele estava balançando os braços, perto de um sinal de SOS na neve que ele esperava que algum avião pudesse avistar.

Ele sabia que sua melhor chance de resgate seria seus amigos e familiares enviarem um avião para procurar por ele. A ajuda veio quase três semanas depois que um incêndio destruiu sua cabana e matou seu cachorro.

"Assim como outras regiões acidentadas do Alasca, um avião seria o único meio de saída de Steele", disse o porta-voz Ken Marsh. Steele disse às tropas que em 17 ou 18 de dezembro chamas destruíram a cabana onde estava vivendo desde setembro. Ele não tinha uma moto para neve e estava cercado por uma neve profunda. "Florestas, áreas fluviais e colinas separavam ele do sistema rodoviário", diz Marsh.

Oficiais disseram que o fogo deixou Steele sem meios de comunicação, e a comunidade mais próxima estava a 32 quilômetros, na pequena Skwentna.

Steele disse que ele ouviu que alguém poderia estar a oito quilômetros de onde ele estava e pensou em ir nessa direção se nenhuma ajuda chegasse até 35 dias depois do incêndio. Mas ele não tinha um mapa e possuía apenas um conhecimento limitado da área, então ele se preocupou em cair no gelo ou ficar desorientado e perdido.

Ele disse que o fogo destruiu seus sapatos para neve, e que demorou dias para chegar em um lago congelado a 400 metros de distância, onde um avião de resgate poderia pousar.

"Eu tive uma lanterna de cabeça por dez ou 11 dias, mas eu só tinha as pilhas que estavam dentro dela. Então eu fiquei sem luz", disse Steele.

O fogo aconteceu rápido depois de uma fagulha no fogão de madeira. Ele descreveu sua cabana como "basicamente de plástico" e disse que acordou com "pedaços de plástico em chamas saindo do telhado em cima de mim". Ele foi para fora pegar neve para parar o fogo, e viu o telhado em chamas. Em pouco tempo a fumaça estava em todo lugar. "Tem essa imagem que fica voltando na minha mente de uma labareda de fogo chegando no canto do meu rosto, sabe?", disse Steele.

Steele conta que a pior parte foi perder seu cachorro, Phil. Enquanto o homem pegava cobertores, ele viu Phil pular da cama e pensou que o animal havia escapado. Mas enquanto Steele corria para fora ele viu o cachorro dentro, uivando, e o sobrevivente conta que ficou histérico.

"Eu não tenho palavras para descrever a tristeza. Foi apenas um grito. Algo visceral, não de raiva, não de tristeza, foi só o que eu consegui expressar. Só um grito. Senti como se eu tivesse arrancado meu pulmão", disse Steele.

Para deixar as coisas piores, ele disse que a munição que ele guardou dentro da cabana explodiu. Ele tinha um suprimento de comida para dois anos mas ele estava guardado próximo de óleos inflamáveis e penas e balas. Um tanque de propano também estava no local. Steele disse que não conseguiu extinguir as chamas.

O homem foi capaz de salvar algumas latas de comida e concluiu que tinha o suficiente para comer duas latas por dia, durante 30 dias. "A refeição da última noite foi a pior", disse ele após ser resgatado", eu estava deixando as coisas queimadas por último. E o jantar da noite anterior foi uma lata de feijões resfriados com plástico queimado".

Steele inicialmente dormiu em uma caverna, mas depois construiu um abrigo parecido com uma tenda com lonas e madeira sobressalente em torno do forno da cabana, oficiais disseram. O homem relatou que em um momento estava tão frio que ele não quis ir para fora e urinou em um balde.

"De nenhuma maneira era uma cabana confortável que eu consegui arranjar", diz Steele, "eu só tornei um pouco menos desagradável. Eu ainda podia ver minha respiração, mas pelo menos não estava sofrendo".

Oficiais conduziram na quinta-feira uma operação para checar o bem-estar de Steele após amigos e familiares não receberem nada de Steele por semanas. Ele foi levado a Anchorage, capital do Alasca, e recebeu comida e café no McDonald's, Marsh escreveu.

Steele disse aos oficiais que ele planejava agora passar um tempo com a família no estado americano de Utah. "Eles possuem um cachorro", disse ele, "e isso será uma boa terapia".

Veja também:

Tender recheado de Natal
Estadão
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade