PUBLICIDADE

Como o autoexame do coração pode prevenir a arritmia cardíaca

Cardiologista explica que medir as próprias batidas do órgão e manter sua saúde cardiovascular em dia evita com que você corra riscos de morte súbita

30 mai 2024 - 08h09
Compartilhar
Exibir comentários

Você lembra de quando era criança e, na aula, fez um exercício de sentir seu próprio coração, ao tocar o pulso, para calcular suas batidas? Segundo o cardiologista Dr. Alexsandro Fagundes, este autoexame é uma ferramenta valiosa para entender como anda a saúde do seu órgão e conferir se não tem arritmia cardíaca. Entenda mais:

Saiba quais são as causas e como prevenir a arritmia cardíaca
Saiba quais são as causas e como prevenir a arritmia cardíaca
Foto: Getty Images/Zay Nyi Nyi / Bons Fluidos

Arritmia cardíaca

A arritmia cardíaca é uma condição que afeta mais de 20 milhões de brasileiros, resultando em 320 mil mortes súbitas anualmente. Os problemas podem começar desde as formas mais simples e irem evoluindo com o tempo. "A frequência dos batimentos pode ser jogada para baixo ou para cima, como no ataque cardíaco ventricular ou na taquicardia sinusal. Esta última acontece quando tomamos um susto, passamos por algum estresse ou fazemos esforço físico", explica.

Ademais, algumas arritmias também podem ser causadas por fatores externos, como acontece com medicações, efeito indesejado de substâncias ilícitas, drogas não-recreativas ou drogas para o tratamento de algumas doenças, como é o caso de alguns arrítmicos. Neste grupo, estão inclusos também as doenças que afetam o coração, tal qual a hipertensão arterial, infarto agudo do miocárdio, a doença de Chagas e a miocardite. "Essas situações podem comprometer o ritmo cardíaco normal, acelerando, gerando taquicardias ou desacelerando", detalha.

Pré-treinos são perigosos?

Primeiramente, procure um médico antes de decidir utilizar qualquer estimulante - que também pode ser conhecido como pré-treino. "Fazer a avaliação do risco cardiovascular, detectando as doenças que, eventualmente, colocam uma pessoa em risco, é extremamente importante. Desta forma, a adição deste tipo de substância não fará a pessoa correr riscos", alerta.

Prevenção

De acordo com Fagundes, a melhor maneira de prevenir essas situações é manter a saúde cardiovascular em dia, controlando os fatores de risco. "Evitar hábitos perigosos, como o cigarro, a obesidade, o sedentarismo, o uso de drogas, pré-treinos à base de cafeína sem consultar um especialista e energéticos - ainda mais se misturados com bebida alcoólico", ressalta. Fazer o controle da pressão e da glicemia também se faz extremamente importante, para que o coração não desarranje, aumentando o risco de uma parada cardíaca.

Bons Fluidos
Compartilhar
Publicidade
Publicidade