PUBLICIDADE

Descubra o tipo de make mais indicado para sua pele

24 abr 2014 13h01
ver comentários
Publicidade

Pensando sempre no bem estar da mulher e na saúde de sua pele, as empresas inovam cada vez mais na criação de cosméticos. É por isso que está cada vez mais fácil encontrar uma grande variedade de elementos naturais em sua composição, assim como texturas variadas e diferentes formatos de aplicação, especialmente quando falamos de produtos para preparar a pele antes da maquiagem.

Nas prateleiras fica até difícil escolher entre um e outro, por isso, antes da decisão de compra é muito importante conhecer a própria pele. Quem entende do assunto diz que identificar o seu tipo entre seca, mista, oleosa ou normal é o primeiro passo para a escolha do produto ideal. “Uma pele oleosa, por exemplo, não recebe bem maquiagens em creme”, alerta Ligia Kogos, dermatologista, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), e uma das responsáveis pela cútis de estrelas como Wanessa Camargo. Ficou na dúvida? Confira, a seguir, as dicas para escolher o tipo de make para preparar a pele mais adequado ao perfil da sua cútis.

<p>Antes de comprar a maquiagem, &eacute; muito importante conhecer a pr&oacute;pria pele</p>
Antes de comprar a maquiagem, é muito importante conhecer a própria pele
Foto: Shutterstock
Pele seca
Para esse tipo de pele é mais recomendado produtos cremosos que irão ajudar a garantir e manter a hidratação da pele. “Para a base é aconselhável o uso de uma mais encorpada, mais grossa e com grande teor de silicone em sua composição,” diz a médica.

Pele oleosa ou mista
O segredo aqui é menos é mais. Por isso, para a preparação da pele, é recomendada uma base mais fina, leve. “Neste caso, o melhor tipo de cosmético é o mineral, em pó”, afirma Ligia. Base mineral também é indicada para pessoas que têm alergia de leite, pólen ou algum tipo de proteína.

Pele normal
Essa cútis é a mais fácil para se maquiar. Com uma pele normal, a mulher tem a liberdade de escolher qual textura do cosmético que ela prefere usar, uma vez que aceita bem tanto os cremes quanto as bases compactas. “Nesta hora, o que deve ser analisado é o conforto do produto na pele e também o estilo de vida da pessoa”, diz a médica.

Vale lembrar que não é apenas o tipo de derme que interfere na escolha do produto, na hora da compra. Segundo Ligia, o estilo de vida da pessoa também implica muito. “Mulheres que têm vida mais ativa, por exemplo, não devem recorrer a sombras em creme, porque o produto pode escorrer ou então criar linhas. Porém, tal produto pode ser usado por aquela mulher que fica no escritório, onde não há risco da maquiagem derreter”, explica a dermatologista.

Fonte: Agência Hélice
Publicidade
Publicidade