0

Implante de fios elásticos na pele combate flacidez facial

30 jul 2014
08h01
  • separator
  • 0
  • comentários

Um dos principais procedimentos estéticos disponíveis no mercado destinado às mulheres que desejam suavizar os efeitos provocados pelo envelhecimento cutâneo, o implante de fios elásticos - também chamados de fios búlgaros -, promete recuperar a firmeza dos músculos faciais sem a ajuda do famoso bisturi. A técnica, criada nos anos 90 pelo médico búlgaro Nicolay Serdev, suspende a musculatura e reposiciona a pele, sem causar qualquer tipo de alteração no rosto e redesenhando a área de forma harmoniosa e praticamente indolor.

Criado nos anos 90 pelo médico búlgaro Nicolay Serdev, o implante de fios elásticos suspende a musculatura do rosto e reposiciona a pele sem causar nenhum tipo de alteração, redesenhando a área de forma harmoniosa e praticamente indolor
Criado nos anos 90 pelo médico búlgaro Nicolay Serdev, o implante de fios elásticos suspende a musculatura do rosto e reposiciona a pele sem causar nenhum tipo de alteração, redesenhando a área de forma harmoniosa e praticamente indolor
Foto: Juice Team / Shutterstock

Feitos a partir de um material absorvível pelo organismo, os fios são introduzidos na face por pequenos furos de cinco milímetros (0,5 cm), que são realizados com agulha. Para que ofereçam o resultado esperado, eles são posicionados na membrana que reveste o osso, costurados por dentro do músculo e, em seguida, puxados para cima, de volta ao furo inicial. O método de aplicação, embora pareça complicado e dolorido em um primeiro momento, dura somente meia hora, não causa cortes nem sangramentos e pode ser efetuado em consultórios, por meio de uma anestesia local.

“Essa técnica é indicada, principalmente, para as pacientes que não podem recorrer a uma cirurgia plástica, seja por alterações de saúde ou pela falta de tempo para o processo de recuperação, pois oferece bons resultados não só nos casos de flacidez, mas também na correção de sobrancelhas caídas, ponta nasal pouco projetada e até mesmo de narinas desproporcionais”, afirma Helio Caprio, membro titular da Sociedade Brasileira de Cirurgia (SBCP) e diretor da Clínica das Palmeiras, do Rio de Janeiro.

Repleto de funções, o implante também pode ser feito por quem deseja diminuir a falta de fimeza do pescoço, reposicionar as maças do rosto, corrigir a papada e elevar o ângulo da boca e dos glúteos. No entanto, o procedimento só é recomendado para pessoas com mais de 40 anos de idade e jamais deve ser realizado por gestantes, lactantes ou pacientes que apresentem problemas graves de coagulação.

Resultados e recuperação
O efeito lifting promovido pelos fios elásticos dura cerca de cinco anos, graças à reação orgânica que se forma em torno do fio. Apesar disso, a paciente deve passar por revisões com um especialista a cada seis meses, quando os fios se dissolvem no corpo e ocorre a necessidade da avaliação de novas aplicações. Diferentemente de outros tratamentos, o efeito dos fios pode ser alterado caso o resultado não seja o esperado.

Após a aplicação, existe a possibilidade de manchas roxas aparecerem no local tratado, mas elas desaparecem em até dez dias. Devido à anestesia, também pode acontecer de a paciente sentir dores ou ficar com pequenos inchaços que duram de uma a duas semanas, no máximo.

Apesar de simples, o processo de recuperação envolve o afastamento de atividades físicas exageradas durante 15 dias. “A paciente deve ficar em repouso, não se expor ao sol intenso, além de fazer uso de analgésicos e anti-inflamatórios por três dias”, aconselha o especialista.

Ficha técnica
Nome do tratamento: Implante de fios elásticos.
Indicação: pode ser realizado para combater a flacidez do rosto e pescoço, levantar sobrancelhas caídas, corrigir pontas nasais poucos projetados ou narinas desproporcionais, reposicionar as maças do rosto, corrigir a papada e elevar o ângulo da boca e até dos glúteos.
Benefícios: suspende a musculatura e reposiciona a pele sem causar nenhum tipo de alteração no rosto, redesenhando a área de forma harmoniosa e praticamente indolor.  A principal vantagem proporcionada pela técnica é o seu método de aplicação, que dura somente meia hora, não provoca cortes nem sangramentos e pode ser realizada em consultórios, por meio de uma anestesia local.
Quantidade de sessões: uma aplicação, realizada a cada cinco anos ou de acordo com a necessidade específica de cada caso.
Valor médio: de R$ 800 a R$ 4 mil, de acordo com a região a ser tratada e o número de fios a serem utilizados.

Fonte: Agência Hélice
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade